https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Lvccas

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Lvccas

MUTATIS MUTANDIS

 
Mudo muito tudo e a todo momento
E mudo muito de ideia
Parece que na cabeça tenho vento
Ou uma fervorosa assembleia
Nessa Ágora com todos sem acento
Como uma confusa epopeia
Tento ser o herói responsável e isento
Sem um final ou mesmo estreia
Por isso sou indeciso, confuso e lento
Chego a cansar minha plateia
E cancelo o quase intangível advento
Da aguardada prosopopeia!

*Feito em um minuto na madrugada de 28/03/2021.
**Versos ímpares com 11 sílabas poéticas e pares com 8 sílabas poéticas.
***Rimas em formato: ABABABABABAB
 
MUTATIS MUTANDIS

Soneto Eureka!

 
(Dedicado a Diego de Azevedo)

Procurei o poema feito a voce outrora
Mas acabei encontrando essa rima feliz
que nao é rica mas é quase de agora
E que por pouco quase esqueci por um triz

Porque o maior erro do poeta profícuo
É nao ter por perto um papel e caneta
Ou tê-los e esquecer o poema no vácuo
Que surge tão magicamente na gaveta

Mas desta vez não hei de esquecer esses teus versos
Que surgiram na minha cabeca inquieta
Deixando-os guardados antes que viuvem

Farei de tudo pra que sejam lidos certos
Constando-os em minha antologia completa
Lançada em papel e também nos bits da nuvem.

@Lvccas, Campinas, 12/04/2020

*Diego é o melhor amigo do autor.
*Soneto italiano de verso alexandrino e esquema ABAB CDCD FGH FGH.
 
Soneto Eureka!

R.I.P.

 
Morro um pouco a cada momento,
E em cada um deles um memento,
Vivere ou Mori tanto faz.

Eu solto um pouco a cada vento,
Uma partícula toma outro acento,
E a onde ela cai ali então jaz.

E como se tivesse fermento,
Me multiplico com desprendimento,
De quem já sabe que está em paz!

*Feito em 19/11/2020
**Esquema de rimas: AAB AAB AAB
 
R.I.P.

Je ne sais quoi!

 
Infinitas palavras não podem traduzir,
O sentimento,
Não tenho o bastante para poder proferir,
Tal alento,
Mas fica mui evidente neste conduzir,
Do momento,
Que inexiste uma capacidade de exprimi-lo,
A contento,
Tão poderoso visto que impossível de vê-lo,
Feito vento.

(18/04/2020)

* "Je ne sais quoi” é uma expressão idiomática tanto no francês como no Inglês. Um "Não sei o quê" e um atributo/qualidade que não pode ser adequadamente descrito.
 
Je ne sais quoi!

BREU

 
BREU

Segue a vida
Segue seguindo
Como um trem
Que segue partindo
Segue no universo
Desenrolando o céu
Como o fim desse verso
Retirando o véu
Vai seguindo imerso
Neste caminho seu
Até o inevitável e infinito...
Breu.

[Feito as 4h da manhã em 06/12/2019]
 
BREU

Eu choro sozinho

 
Eu choro sozinho
No escuro do meu quarto
Eu choro sozinho
E de lágrimas me farto
Um choro baixinho
Sem chamar a atenção
Dá família ou dos vizinhos
Que me cercam a região
Um choro tristonho
Quase sem razão
Vindo da falta de sonhos
E receber tantos nãos
Eu choro sozinho
na falta que não faço
Um dia tomo coragem
E esta vida desfaço.

(19/09/2019)

*Já tive muita vontade de se matar, acho até natural surgir o desejo em algum momento da vida, se isso acontecer com você, peça ajuda! Jesus te ama e sua vida vale muito!
 
Eu choro sozinho

Otimismo enviado por carta

 
Fui mandar otimismo por correio
Para você apareciar no futuro
Mas fiquei com deveras receio
De que o envio fosse pesado e duro

Pois meu otimismo nunca foi espúrio
Chegando até a levantar um defunto
Mas é pesado líquido como mercúrio
Contaminando qualquer assunto

Por isso o mando neste soneto
Meu otimismo em seu melhor estado
Tão sucinto como este terceto

Mando para você anexado
Esta carta nao é mais um boleto
Entao aprecie-o desassustado

*Feito para Diego Azevedo em 21/05/2020 após uma conversa onde ele pediu pra mandar otimismo por carta.
 
Otimismo enviado por carta

Eu-lírico não tem gênero!

 
Eu-lirico não tem gênero
Eu-lirico não tem sexo
Eu canto para quem ouvir
E toco quem acha nexo
Eu escrevo para exprimir
O simples porém complexo
E derramar o elixir
Do pensamento dislexo.

*Feito na tarde de 13/02/2020 e corrigido em 16/04/2020.
** Feito em Redondilho maior.
 
Eu-lírico não tem gênero!

Poeta em Débito

 
Vem um desejo mórbido
E com ele a covardia
Na esperança de que o óbito
Venha sem ela um dia
Para realizar de súbito
O desejo que ali jazia
Pobre poeta em débito
Com a rima que fazia
Resolveu fora do hábito
Dar-lhe o que a Satisfazia
Jogou-se do alto pórtico,
Abraçou aquela vadia.

*Feito em 11/02/2019
**Suicídio é serio, não sucumba a ele. Se for preciso peça ajuda, não sofra em silêncio. Jesus te ama e sua vida é importante.
 
Poeta em Débito

FUGERE URBEM

 
Um Balanço de rede
No Mato a dentro
Pinga que mata a sede
Do meu matuto sedento
Uma preguiça que mede
Mais do que aguento
Minha alma pede
Mais que mil porcento.

*Feito em 07/09/2020 em Cambará interior do Paraná
**"Fugere urbem" é uma expressão em latim que significa "fugir da cidade" e é expressão central do arcadismo/neoclássicismo.
 
FUGERE URBEM

TARDE DA NOITE (Crises de ansiedade)

 
É tão estranho rever uma paixão antiga!
Daquelas que um dia já te abalou
Que chega a te dar aquela fadiga
Pelo tanto que por ela se chorou

Mas mesmo lembrando do choro farto
E das angústias que ela me acometeu
Eu não tiro as lembranças do meu quarto
Nem da mente os momentos que me deu

A Paixão aqui por dentro nunca morre
Ela muda, transforma, desloca e acresce
Ela adormece, se esconde ou até corre

Mas nunca deixará que se esquece
Paixão é fogo, que assa até que torre
Mas ela sempre, sempre, te aquece!

Soneto escrito em 03/05/2022 numa noite angustiante de crise de ansiedade.
Esquema de rimas: ABAB CDCD EFE FEF
 
TARDE DA NOITE (Crises de ansiedade)

Quem me dera ser um leitor!

 
Quem me dera ser um leitor!
 
Quem me dera ser um leitor!
Leitor da alta literatura
E poder entender o amor
Em sua mais alta candura

Quem me dera ser um leitor!
Leitor das obras, as mais clássicas!
Dos romances, um curador
Das histórias, as mui trágicas

Quem me dera ser um leitor!
E dos livros espectador
Perante a prateleira cheia

Como nao tenho o penhor
Fiz um soneto de louvor
Que as palavras saboreia.

(15/04/2020)

*Imagem liberada para uso, retirada do site freepik do usuário "jaymantri".
*Soneto italiano de redondilha maior, rimas: ABAB ACAC AAD AAD
 
Quem me dera ser um leitor!

Pintura Rupestre

 
Pintura Rupestre
 
PINTURA RUPESTRE

O artista está sempre mudando,
Mesmo estando no mesmo lugar.
E o lugar onde o artista mora,
É o futuro!
Ora! Não importa o ano ou a hora
Na caverna de cantabria no escuro
Nasceu a arte, tão bela que aflora
Nos bisões,
Pintados belos e trancendentais
Que até parecem toques angelicais
Preconizados rubros, tridimensionais
Nas visões.
Desde entao o poeta anceou algo mais!
Sim, poeta pois ainda não haviam fonemas!
O homem então se distinguiu dos animais,
E fez o primeiro de muitos poemas!

@Lvccas, Campinas, 30/06/2020.

*As pinturas rupestres nas cavernas de Cantabria, na Espanha, são tão conhecidas como suas congêneres de Lascaux. Elas são, provavelmente, uma das primeiras manifestações de escrita do homem ainda preservada. Suas formações espantam em beleza pois os bisões foram desenhados sobre as curvaturas internas da caverna, dando efeito "tridimensional" as mesmas, como pode ser visto na imagem acima.
 
Pintura Rupestre

ORGULHO

 
ORGULHO
 
Sou um poeta muito apegado as rimas,
Seria eu um poeta desses puristas?
Daqueles chatos e cheios de cismas,
Que se gabam de serem sonetistas?

Confesso que sou um poeta orgulhoso!
Daqueles que acredita com afinco
Que todo seu trabalho é gostoso
Como a moça com pérola no brinco

Sou poeta, poeta metido a erudito
Como são quase que todos os poetas
Que conheço, leio, cito e recito

Pois o que os torna, finalmente, poetas
Não são os estudos, como premedito
Mas saber da palavra e suas facetas.

@Lvccas, Campinas, 23/06/2020

*Moça com brinco de pérola é o quadro citado no soneto. Considerada a "Monalisa do Norte" é uma das obras mais famosas da Holanda e foi pintada em 1665 por Johannes Vermeer.
**A imagem é de domínio publico e foi retirada da Wikipédia.
*** Soneto italiano, decassílabo, rimas ABAB CDCD EFE FEF
 
ORGULHO

Soneto Enjoadinho (como o de Vinícius de Moraes)

 
Como prematuras já estão minhas cãs
Segui a risca pois o Conselho de Vinícius
Que no alto de seus enjoos entre os afãs
Sugeriu não tê-los ante aos vícios

Vicios meus mais fortes do que querer tê-los
Minha vida já nasceu cansada na insônia
Prefiro passar a vida sem nem sabê-los
Seria mais desastre que cheirar amônia

Mas não duvido do desejo inesperado
Que um dia me tome do sul até o norte
No louco desejo de ter um filho amado

Deixarei tal plano aberto e desamarrado
A criterio do deus do azar e da sorte
ter genes, além das palavras, semeado.

(22/05/2020)

* Soneto Italiano, Alexandrino de rimas: ABAB CDCD EFG EFG.

**Este soneto tem uma intertextualidade com o "Poema enjoadinho" do Poetinha Vinícius de Moraes. Conhecido pela famosa máxima "Filhos...Filhos?/Melhor não tê-los!/Mas se não os temos/Como sabe-los?" e pode ser conferido aqui mesmo no luso-poemas em:
https://www.luso-poemas.net/modules/news03/article.php?storyid=478
 
Soneto Enjoadinho (como o de Vinícius de Moraes)

Síndrome do Coração Partido

 
Quase morri do coração
E descobri que foi takotsubo
Uma doença que não é zueira não
E pode matar o tabacudo
Que deixa seu coração na mão
D'um péssimo prônubo.

04/07/2020

*A síndrome do coração partido é uma doença real e também é conhecida pelo nome de Takotsubo.
 
Síndrome do Coração Partido

DARK

 
O tempo me tem por um pouco
Um pouco que o tempo me tem
Um tempo que tenho tão pouco
Tampouco como ele me tem
Viajo no tempo tão louco
Gastando o último vintém
Apenas para dar o troco
Chegando no infinito e além.

*Feito em 07/07/2019 e escanção e correção efetuada em 17/04/2020
**Quase todos os versos tem 8 sílabas poéticas, aceitos sugestões.
 
DARK

Soneto da Frivolidade

 
Mote: verba volant scripta Manent

Da vida deixo meus poemas
Que serão lidos em tempo oportuno
E levo os meus problemas
Que serão enterrados no túmulo

Pois falei muitas besteiras
Ao longo dessa vida tola
Que frequentemente arrependido
Pedi perdão pela vida toda

Mas como já disse o vice
O que foi falado voa
o que tá escrito permanece

Pego a rima que ressoa
Escrita no seu ápice
E por anos prevalece.

*Em Dezembro de 2015 o então Vice-presidente da República do Brasil enviou uma carta a ex-presidente Dilma Rousseff onde em seu começo citava o ditado latino usado como mote. O mesmo significa "palavras faladas voam, o que é escrito permanece".
** Feito na madrugada de 07/04/2019
 
Soneto da Frivolidade

TRAGO

 
Trago,
Mas não solto.
Trago,
Mas não levo.
Trágico,
E tão revolto.
Travo,
então relevo.
Trato,
Então volto.

25/03/2020 em meio a pandemia
 
TRAGO

FRANCIELE

 
Entrei em seu quarto e aleatório
Peguei um anel
Peguei de lembrança dos tempos,
Lembrança dos tempos Glórios,
Dos tempos de ouro, de mel
Peguei em segredo, sem sua ciência
pois ali naquele momento e canto
Da nossa vida, da nossa essência
Queria roubar-lhe um tanto
Para guardar no meu âmago
Essa alegria que planto
Sem nenhum talo amargo
Sem nenhuma lembrança ingrata
Apenas a vida dura e doce
Como uma rapadura abstrata
dois nordestinos se encontraram
Numa surpresa cordata
E Tornam-se certos
Da fortuna encontrada!

*Feito em 31/12/2018 no final da minha morada com Franciele, uma época que eu era feliz E SABIA!
 
FRANCIELE

@Lvccas, Recifense (PE) radicado em Campinas-SP.