https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de emersonmattos

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de emersonmattos

Visite o site http://www.emersonmattos.prosaeverso.net de Emerson Mattos autor do livro LETRAS VIVAS - Poesias. Navegue e conheça suas poesias e um pouco mais deste poeta.

Amor Revolto

 
Autor: Emerson
Data: 07/04/06

Navego nos mares do amor
Em que a fúria das emoções
Sacodem e fazem-me quase um náufrago
Sinto-me cativo, pois, preso me arrasto

As ondas não me deixam caminhar
Sobre essas águas quentes e frias
Águas que me sufocam e não matam
Me cortam o ar e não matam minha sede

No alto eu vejo o semblante das nuvens
Que lembram nos sonhos a minha quietude
Buscando o alento a vã calmaria
Já que os meus dias me encharcam as veias

A bomba parece que vai explodir
Fazendo contudo o barco fundir
O sótão profundo não deixa eu fugir
Os gritos estão surdos não fazem ouvir

Lá fora a imagem me faz refletir
Que um dia a bonança me fará sorrir
Porém esse dia não quer logo vir
E o tempo escuro quer me perseguir

Será que a expressão não se abrandará?
Não vai permitir essa água acalmar
Fazendo volume somente no ar
No ar que suaviza e faz cariciar

Um dia eu sei que direi
Que eu caminho sobre esse mar
E digo pra ele se acalmar
Eu tenho o controle de fazer parar

Revolto o mar vai parar
Quando o vento parar de soprar
Quando a minha emoção se controlar
E assim poderei muito aproveitar

Talvez em outras águas
Eu encontrarei a tão sonhada calmaria
Assim poderei não só matar a sede
Como harmonizar o ar e o mar
 
Amor Revolto

Incessante Inspiração

 
Autor: Emerson
Data: 24/10/02

Cabelos... Longos cabelos
Que mais parecem cascatas,
Em suas quedas constantes;
Movidos ao vento,
Num movimento de encanto!

Olhos... Jóias brilhantes
Oh! Esferas me encantem!
Transbordem emoção!...
Às vezes refletem alegria,
Às vezes tristeza...
As lágrimas não dizem razão
Pergunto, pergunto...
Porque lacrimejam emoção?
Somente rolam no rosto,
Até chegarem ao chão...
Explodem e formam estrelas,
Choram! Constelação!...
Mas não me respondem a razão

Montanhas...
Horizonte! Esperança!
Belas montanhas...
Tela, arte bela...
No centro arco-íris
Conciliam as cores
Tais cores exoneram palavras,
Já que as falam por si...
Vejo assim a expressão do sorriso
Quando se forma e se desfaz...
Todo o conjunto do rosto,
Posso descrever em palavras...
Mas se me faltam as palavras...
Volto o olhar pra você...
Contemplando a beleza harmônica...
Posso, assim, voltar a escrever.
 
Incessante Inspiração

Tudo Muda

 
Um dia minha manhã surgiu
Uma manhã bela e alegre
Cujas alegrias eram constantes
E muitas manhãs brincavam
E minha manhã estava com elas

Sutil o entardecer veio chegando
O entardecer era muito bom
Pois era o entardecer juvenil
Em cujas forças e alegrias
Estavam ainda o vigor da manhã

Mas o entardecer ia desfalecendo
Havia sem dúvida um pouco de força
Mas a alegria estava desgastada
O próprio tempo a havia saturado
E no horizonte já se podia ver a noite

A noite até que surgiu esplendorosa!
Não havia arrependimento pela sua vinda
O céu estava claro e a brisa lhe fazia carinho
A verdade bela em um lençol de estrelas!
Não era esperada uma madrugada sombria
Pois melhor do que estava, estragaria

Mas de repente o tempo se fecha
O lençol estava entorpecido pelo breu
A Lua não podia mais se mostrar
O clima sumariamente começou a gelar
O vento mais forte começou a soprar

Estava tudo deserto em todos os lados
Não havia um corajoso que ali ficasse
Pois a noite, agora, metia medo em todos
Aquele dia: manhã, entardecer e noite
Havia desaparecido até mesmo da memória
Tudo acabou numa noite consternada
 
Tudo Muda

Saudades de Você

 
Autor: Emerson
Data: 17/03/06

Enquanto vagava, pensava em você
Passei por um rio, ouvi tua voz
Ruído, cascata, um canto bonito
Parei pra ouvir o entoar lírico

Voltei pra minha jornada
Senti um perfume gostoso
Que visitava minhas narinas
E presenteava com o teu aroma
Um aroma de irresistível atração
Num jardim de encanto, repleto de flores

Rosas, belas rosas perfumadas
Diversas cores num único perfume
Perfume de menina, perfume de mulher
E a cada passo que eu dava
O teu perfume me acompanhava
E eu assim delirava você

De repente ouvi o teu nome
A brisa te sussurrava pra mim
Brisa suave, muito agradável
Acariciava-me e lembrava você
Brisa que encanta e canta
O canto de uma sereia
O canto do meu amor

Então eu parei, recostei
A sombra de uma árvore
Sonhei com você
Não quero acordar
Só vou despertar
Se for pra te amar

Logo senti um toque no ombro
Um toque bem leve, suave
Do galho da árvore
Que me vem despertar
Despertar pro amor
Despertar pra você

Contemplo o cenário perfeito
O belo canto do rio,
O aroma perfumado do jardim,
A suave brisa sussurrante
E o despertar saudoso
De um dia poder te encontrar
E assim, voltar a te amar
 
Saudades de Você

Toque

 
Autor: Emerson
Data: 21/11/05

Se dado na testa
Demonstra respeito
Se dado no rosto
Pra se apresentar
Matar a saudade
Em outro lugar

Do rosto pra boca
Declara atração
Desejo, conquista
E instigação

Aquele roubado
É bem natural
Se é inocente
Não faz nenhum mal

Aquele sem jeito
Vai envergonhar
Tentando um jeito
Para disfarçar

Se bem demorado
Vai impressionar
Mostrando a perícia
Pra apaixonar

O gosto importa
O jeito também
Se é de alguém
Que sente também

Não há relação
Sem esse contato
Havendo afeição
Esquenta o trato
 
Toque

Sabor

 
Autor: Emerson
Data: 26/07/05

Sinto o teu sabor
Teu cheiro, a dor
Sabor do amor
O toque da flor

O mel do teu beijo
O teu paladar
O cheiro do corpo
A força do atrito
De a pele roçar

A tua entrada
A tua saída
O teu balançar
No ritmo certo
De me encantar

O toque na pele
A boca na boca
Sentindo a quentura
Fusão, harmonia
No ritmo da agonia,
Da respiração
E do coração

O jeito de amar
O jeito de olhar
O gesto correto
Pra me conquistar

Eu sinto o teu gosto
O gosto do beijo
O gosto do corpo
O gosto do apego

Na intimidade
Só tenho vontade
Com suavidade
Te amar de verdade

Se eu sinto tua pele
Eu sinto no toque
Se eu sinto com peito
Sinto com afeição
Eu perco a razão
Pensando somente
Com o coração
 
Sabor

Verso

 
Autor: Emerson
Data: 31/08/05

Canta o sabiá
Aquilo que ele sabia
Da natureza que é sábia
Sábia sabia sabiá

Que arrepia o pêlo
E fica pelo cabelo
Se der mole te pélo
Pélo pelo pêlo

As mãos eu vou pôr
Nos ovos que por
E por caminhos do amor
No ninho, as mãos eu vou pôr

Eu fico no canto
E ouço o teu canto
Então me encanto
E logo no canto eu canto

Vejo você bela coisa
O teu canto e uma coisa
E me faz falar dessa coisa
Eu verso como minha coisa

Canto por sabiá
Sabiá por mim vai cantar
Num canto a coisa
Canto por bela coisa

Sábia sabia sabiá
Pélo pelo pêlo
Canto no canto
Coisa bela coisa
 
Verso

Minha Lua

 
Autor: Emerson
Data: 18/02/06

Olhar você
É ver o céu
É contemplar o paraíso
Em teus gestos e sorrisos

Vejo que és formosa
De natureza gostosa
Que o encanto é a prova
De tudo aquilo que gostas

O brilho do sol
Realça a beleza
Onde toda a tristeza
Se evade, deixando...
A singela beleza

O meu encontro com você
É como o do sol com a lua
É raro, mas é lindo
Queria que fosse constante
Mas, infelizmente, me vejo distante

O sol impõe sua distância
E a lua assim aceita
Mas, ele, nem sempre resiste
Ao encanto de ter a certeza
Do encontro que gera beleza

Difícil é imaginar
Esse encontro sem testemunhar
Haverá sempre, alguém
Olhando pra se admirar

Eu sou o sol que resiste
Você é a lua que encanta
E todo o encanto que insiste
Quebra toda a resistência
Acabando com toda a distância

O encontro do sol com a lua
Muito pouco irá durar
Espero que o nosso encontro
Seja o elo que irá perdurar
Fazendo o amor se revelar
 
Minha Lua

Até Quando?

 
Autor: Emerson
Data: 09/09/03


Estaremos...

Atrás das grades da insegurança?

Sentenciados a violência gratuita e até a morte dentro ou fora dos nossos lares?

Cercados por grades, presos em nossas próprias residências, enquanto os bandidos estão soltos nas ruas?

Ou ficaremos calados a mercê de autoridades autoritárias e corruptas, vestidos de cordeiros quando na verdade são lobos devoradores?



Seremos...

Lesados nos nossos “direitos humanos”, enquanto marginais têm mais “direitos humanos” que nós?

Vítimas da corrupção da administração pública e da justiça, onde propinas movem a roda dos trâmites burocráticos convenientemente?

Assaltados, seqüestrados, extorquidos e mortos por bandidos fardados?

Enganados por políticas públicas fantasiosas e irreais?

Escravos do sistema?



Suportaremos...

As barreiras protecionistas sobre nossos produtos exportados?

A exclusão social, as desigualdades sociais expressadas nos grupos elitizados com seus salários milionários que monopolizam os diversos setores da sociedade, enquanto a maioria tentar de maneira malabarística manejar o salário mínimo ou a ausência dele?

O continuísmo desavergonhado, expressado na condução das empresas públicas, do País, Estados e Municípios, onde a muito esperamos, ansiosamente, por mudanças reais?



Veremos...

Nossos filhos serem seduzidos pelos vícios, pelas drogas, pela mídia e pelo próprio capitalismo que estabelece regras de conduta moral e ética corrompidas e, pervertidas em seus verdadeiros valores?



Arcaremos...

Com os prejuízos das empresas internacionais?



Trabalharemos...

E se por um acaso melhorarmos, financeiramente, não gozaremos essa melhoria por estarmos velhos?...



Esperaremos...

A abolição da pobreza e da miséria?

Até quando?...
 
Até Quando?

Saudade

 
Autor: Emerson
Data: 11/11/05

Saudade...
Passadio insaciável
Que a lembrança não sustém
Fome sanada somente
Com a presença do alguém

Vontade da vontade
Lacuna que não se preenche
A não ser de própria saudade
Ausente de alguém
Repleto de quem?
Vacuidade lembrada
A todo o momento

A lembrança conforta
Mas também, vem
Corta e recorta
Retalha o desejo
Daquela presença
Presente somente
Naquela lembrança

Sovina reminiscência
Não causa influência
Que a decadência
Não cessa a carência
 
Saudade

Por Amor

 
Autor: Emerson
Data: 06/12/05

Amar por amar...
O que vai significar?
Se eu não sofrer
Se eu não chorar
Se eu não me apaixonar

Apaixonar por mim
Apaixonar por ti
Apaixonar sim
Tem que ser assim

Se encantar de verdade
Com toda a felicidade
Vendo com simplicidade
A afeição de verdade

Que não seja derradeiro
O sentimento verdadeiro
Que não seja por dinheiro
Que seja sempre maneiro

Tem sempre que revelar
Num interesse impar
Sendo sempre singular
No justo jeito de amar

Tendo a cumplicidade
Expressada na verdade
Mostrando fidelidade
Na sua vivacidade

Amar por amar
Isso não dá
Temos que somente
Por amor amar
 
Por Amor

Revérbero

 
Autor: Emerson
Data: 22/09/05

Num ambiente propício
A verdade, vais revelar
Mostrando o que é refletido
Da forma que apresentar

A esquerda será direita
A direita será esquerda
Se me viro não há maneira
De uma olhada certeira

Se eu me sinto bem
Insistente vem agradar
Se eu me sinto mal
Insistente vem maltratar

Se me sinto convencido
Através de um belo sorriso
O reflexo vem florido
Num testemunho amigo

E me olho ao acordar
Aos olhos não vou agradar
Entregue ao meu relaxar
Não preocupo em me arrumar

Se o tempo vai passando
Meu reflexo vai penando
Não mentes me agradando
Bem frio vai me mostrando

Eu olho pra analisar
Como vou aparentar
Se belo vou agradar
Se feio desagradar

Com certeza vou aplaudir
A tudo que vais exibir
Mentira, não vais deferir
Não se importa se vais ferir
 
Revérbero

Tudo Muda

 
Autor: Emerson
Data: 01/09/05

Um dia minha manhã surgiu
Uma manhã bela e alegre
Cujas alegrias eram constantes
E muitas manhãs brincavam
E minha manhã estava com elas

Sutil o entardecer veio chegando
O entardecer era muito bom
Pois era o entardecer juvenil
Em cujas forças e alegrias
Estavam, ainda, o vigor da manhã

Mas o entardecer ia desfalecendo
Havia sem dúvida um pouco de força
Mas a alegria estava desgastada
O próprio tempo a havia saturado
E no horizonte já se podia ver a noite

A noite até que surgiu esplendorosa
Não havia arrependimento pela sua vinda
O céu estava claro e a brisa lhe fazia carinho
A verdade bela em um lençol de estrelas
Não era esperada uma madrugada sombria
Pois melhor do que estava, estragaria

Mas de repente o tempo se fecha
O lençol estava entorpecido pelo breu
A Lua não podia mais se mostrar
O clima sumariamente começou a gelar
O vento mais forte começou a soprar

Estava tudo deserto em todos os lados
Não havia um corajoso que ali ficasse
Pois a noite, agora, metia medo em todos
Aquele dia: manhã, entardecer e noite
Havia desaparecido até mesmo da memória
Tudo acabou numa noite consternada
 
Tudo Muda

Visite o site http://www.emersonmattos.prosaeverso.net de Emerson Mattos autor do livro LETRAS VIVAS - Poesias. Navegue e conheça suas poesias e um pouco mais deste poeta.