https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de AnnaCarvalho

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de AnnaCarvalho

A verdade não me assusta, o que realmente me desespera é a mentira disfarçada cinicamente de verdade - Anna Carvalho

África, um continente esquecido

 
África, um continente esquecido
 
 
Peço encarecidamente aos colegas que "percam" alguns minutos com essa
verdade..................................

Assista ao mundo que existe além dos muros de sua casa!

Texto Reflexão

FOME é o monstro interno que devora o estômago da criança!
Criança que chora a miséria do mundo desigual, onde o rico joga no lixo o que julga ser nada:
a ESPERANÇA do futuro de milhares de vidas semi-mortas pela descrença em lideres de governos falidos.
Quais sentimentos esses futuros adultos (se chegarem a ser) terão dentro de si?
Poderemos achar a fé em peitos apedrejados pela desigualdade humana?
Vejo a dor latente nos olhos da mãe com seu filho pele e osso, franzino pela fome que o corrói, vejo nos olhos uma pergunta sem resposta:
Será que Deus se esconde nessa hora?
Inúmeros corações questionadores sem saber ao certo a razão da vida ser cruel para uns e “humana” para outros...
Vejo também o homem-bicho aquele que joga resto de vida no lixo!
Tão egoísta, serve em seu prato bem mais do que o corpo precisa.
Dai luz à criança que chora de fome, que treme de frio, que NÃO SONHA!
Sim, a morte dos sonhos é verdadeira morte em vida, ver olhos pequeninos sem o brilho da esperança. Acreditem: São mesmo olhos de criança!
Olhos que gritam: MUNDO EU EXISTO! Não pedi para nascer...
E clamam: dê-me o berço, o colo, o sapato, a comida, dê-me o AMOR!
Aqui no peito de HUMANA e mãe, a revolta grita de mãos atadas...
Em meus olhos uma lágrima gélida em súplica:
-Senhor dá-me motivos para ser poeta!




Caros amigos,
sei que não poderei mudar o mundo com esse "manifesto", mas se conseguir com que as pessoas
que por aqui passarem conscientizem-se ou apenas
parem por alguns instantes para refletir na vida
que levam e às vezes queixam-se sem saber -ou sem lembrar- que de sua porta para fora há um mundo esquecido e sem esperança. Se conseguir fazer com que ACORDEM para esse "mundo" sentirei que cumpri parte da minha missão na vida.
E pode ser que você pergunte a si mesmo:
-O que posso fazer?
Te respondo: Pode orar com fé e ainda dentro de sua casa iniciar a mudança.
Pois se todos nós fizermos um pouquinho, esse pouco somado à tantos outros pouquinhos já será muito.
E agora te pergunto:
Vai sobrar comida em seu prato hoje ou servirá apenas o que seu corpo precisa?
 
África, um continente esquecido

Silêncio íntimo de mim

 
Silêncio íntimo de mim
 
Às vezes preciso mergulhar no meu silêncio,
nesse escuro solitário no íntimo de mim
como se precisasse só caber no meu espaço.
Atrevo-me dizer que até esqueço de acordar,
quando sonhos intensos me deslocam do lugar.

Então, perdida nos devaneios, entre a vida e a fantasia:
Fujo! Nem que seja de mim mesma,
nem que tenha que enlouquecer a realidade
para poder mergulhar no silêncio da minha fantasia

É esse muitas vezes o caminho que me perco,
um labirinto de desejos, de coisas que calei,
de outras que omiti,
de tantas outras que por medo não vivi.

E ali, no silêncio íntimo de mim,
sou os meus sonhos;
todos aqueles que deixei de sonhar...
Sou apenas Eu e ninguém vestido de mim,
simplesmente Eu e ninguém além de mim!

Anna Carvalho

http://despertardocoracao.blogspot.com/
 
Silêncio íntimo de mim

Novos Ventos

 
Novos Ventos
 
Sinto o vento em meus cabelos,
a paz que há tempos não tinha
fez-se livre minh’alma e meus dias.

Sinto a leveza dos sonhos,
o meu coração agora risonho,
tal qual a almejada alforria

De um mundo confuso, confesso
as flores de esperança renascem,
os ventos norte me invadem...

Hoje o céu está tão lindo,
o Sol nasceu tão belo...
Eu, de pazes feitas com o mundo;
CELEBRO!

Anna Carvalho

http://despertardocoracao.blogspot.com/
 
Novos Ventos

A flor do poema

 
A flor do poema
 
Queria ser apenas a flor,
para nas mãos daquele poeta
morrer de tanto amor.
De suas melodias ser a orquestra,
as notas, as letras, o ritmo
e o motivo a compor.

Para o poeta eu queria
ser de sua poesia a flor.
Renascida, convergida
à contemplar a fantasia
nos enredos de amor

Em sua boca seria o absinto,
entorpecendo lentamente os sentidos.
Do corpo seria sua alma e instintos,
à ministrar no silêncio da pele
por minha carne os desejos e vícios.

Desejaria ser do versar a musa,
nua de pele, vestida de letras
um poema em Mulher
a vida despida em poema.
Como o rio desaguando em mar aberto,
carregando na cor dos olhos dilemas.

Descreveria a pele vestida em mim
na poesia do poeta o desejo.
Do carmim de meus lábios
agregado ao doces dos beijos,
o arrepio sentido na pele
ao reagir a língua que a boca interpele
os inúmeros devaneios...

Queria ser princípio e fim.
A inspiração, as rimas, os versos,
os corretos e avessos confessos.
A sedução em contexto e reflexo,
daquele que poeta Hortênsias
sublimadas em delicados aspectos.

Queria ser do poema àquela flor,
para que no peito e nas mãos do poeta
pudesse viver descrita nos versos
que seu amor à inspiração confessou.

Anna Carvalho
 
A flor do poema

Nosso Fim

 
Nosso Fim
 
Saí,
sem ao menos olhar p'ra trás,
ouvi apenas a batida da porta logo atrás das minhas costas.

Doeu não só os ouvidos,
doeu também aquilo que eu carregava em meu peito,
doeu não sei bem por qual razão...
Talvez tenha ficado por detrás daquela porta,
o resto da minha ilusão.

Saí pisando baixo, meio arrastado,
saí com parte minha querendo voltar.
Hexitei, a maior parte de mim fugia sem pensar...

Era hora de nosso adeus,
que por fim toda palavra emudeceu;
apenas atos teus e meus!

Anna Carvalho

http://despertardocoracao.blogspot.com.br/
 
Nosso Fim

Ares de Borboleta

 
Ares de Borboleta
 
 
Tenho ares de borboleta,
mudo, me refaço, surpreendo...
Abro graciosamente as asas em encanto,
e logo vôo, danço leve pelo ar
borboletando pela vida
num doce bordejar

Ando em meio às flores,
segredando amores com as pétalas
sonhando livre na floresta,
fazendo do vento a orquestra;
uma Borboleta bailarina em festa

Eu e minhas fases de borboleta;
com asas de sonho em cores serenas,
delicadezas na alma que floreia.
Aprendi a crer com as borboletas;
sonham com que parece não ter emenda...

Assim que nascem lagartas tão feias,
mas no tempo certo ganham asas bem arteiras.
E quem disse à Ela que sonhar não vale a pena;
fica já boquiaberto descrente à espreita,
vendo feita a realização do sonho:
o desejado vôo da Borboleta.

...É, só há impossível para quem tem a fé pequena...

Anna Carvalho

http://despertardocoracao.blogspot.co ... 06/ares-de-borboleta.html
 
Ares de Borboleta

Naquele olhar...

 
Naquele olhar...
 
Se procuro definir o encanto,
ainda lembro-me tanto
dos segundos de espanto
em que me vi naquele olhar.

Paralisei n‘alguns instantes,
tudo ali ficou distante,
diante do brilho hipnotizante
num azul de invejar...

Como era imenso aquele mar...
Tranqüila em primeira viajem,
naveguei sem hesitar.
Um breve e inesquecível velejar.

Marcas que o tempo de mim
ainda não conseguiu apagar.
Me percebo em puro encanto
quando a saudade vem visitar,

sinto na alma a ânsia de navegar.
Quando noto que apesar do tempo
o coração continua atracado ao peito
esperando pelo dono daquele olhar.

Anna Carvalho

http://despertardocoracao.blogspot.com/
 
Naquele olhar...

Olhar Felino

 
Olhar Felino
 
Pura sede vi refletido em teu olhar,
despia-me sem ao menos os dedos tocar.
tive medo de provar,
o desejo que lhe tremia os lábios,
de teu coração acelerava o compasso,
ouvia-te distante, sequer aproximei um passo.

Hesitei pelo deserto de teus olhos caminhar,
evitei por anos inteiros teu caminho cruzar.
Como se sempre soubesse quão tentador seria
ver-me diante desse teu faminto olhar.
Mas a tua fantasia no subconsciente está,
contaminando perigosamente os instintos,
provocando cada um dos meus sentidos...

Teu desejo como súplica ouvida pelo destino,
cruzou nossas vidas em verdadeiro desalinho.
Ai de minha carne tão fraca, aos teus olhos não mais resisto!
Quero ser presa fácil aos teus instintos felinos,
toma-me em teus braços com toda essa fome do cio,
sim, eu insisto!
Sacia-te nesses lábios que os teus há muito cobiçam!

Anna Carvalho
 
Olhar Felino