https://www.poetris.com/
Florbela Espanca : Maria das quimeras
em 21/01/2011 23:34:01 (4036 leituras)
Florbela Espanca

Maria das Quimeras me chamou
Alguém.. Pelos castelos que eu ergui
P’las flores d’oiro e azul que a sol teci
Numa tela de sonho que estalou.

Maria das Quimeras me ficou;
Com elas na minh’alma adormeci.
Mas, quando despertei, nem uma vi
Que da minh’alma, Alguém, tudo levou!

Maria das Quimeras, que fim deste
Às flores d’oiro e azul que a sol bordaste,
Aos sonhos tresloucados que fizeste?

Pelo mundo, na vida, o que é que esperas?…
Aonde estão os beijos que sonhaste,
Maria das Quimeras, sem quimeras?…

Florbela Espanca - Livro de Soror Saudade


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 26/01/2011 10:09  Atualizado: 26/01/2011 10:09
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: Maria das quimeras
Não será, na minha modesta opinião, dos melhores sonetos que Florbela escreveu. Descurou até o metro dos versos. Não deixa de ter, ainda assim, o seu toque genial.

Enviado por Tópico
elendemoraes
Publicado: 14/02/2011 20:44  Atualizado: 14/02/2011 20:44
Da casa!
Usuário desde: 05/05/2010
Localidade: Rio de Janeiro - Brasil
Mensagens: 457
 Re: Maria das quimeras
Só há um jeito de não gostar de Florbela Espanca: é não sonhar e não amar ninguem!
Ela é genial!

Links patrocinados

Visite também...