https://www.poetris.com/
Alexandre O´Neill : Ao rosto vulgar dos dias
em 17/08/2007 19:20:00 (4639 leituras)
Alexandre O´Neill

Monstros e homens lado a lado,
Não à margem, mas na própria vida.
Absurdos monstros que circulam
Quase honestamente.
Homens atormentados, divididos, fracos.
Homens fortes, unidos, temperados.

Ao rosto vulgar dos dias,
A vida cada vez mais corrente,
As imagens regressam já experimentadas,
Quotidianas, razoáveis, surpreendentes.



Imaginar, primeiro, é ver.
Imaginar é conhecer, portanto agir.

**************************************************


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Bruno Sousa Villar
Publicado: 11/02/2008 21:04  Atualizado: 11/02/2008 21:04
Super Participativo
Usuário desde: 09/03/2007
Localidade:
Mensagens: 122
 Re: Ao rosto vulgar dos dias
Dos poemas mais marcantes que já li.

Links patrocinados

Visite também...