Poemas, frases e mensagens de ebrancaglioni

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de ebrancaglioni

Busca a definição porém o que se fecha enclausura não importa a quantidade de doçura e de amargura. Caminhando é que se sai do lugar quando algo se busca. E se nada objetiva, do nada não há escape às consequências

Avalon

 
Abertas as cortinas
as névoas escondem
para quem de longe
sem ser convidado vem.
Que diga o teu Destino
se é viajante cativo,
à convencer Morgana
que o que se mostra
os olhos não engana.
Se é real teu intento
entalhado neste ouro
de nobre material
caro e verdadeiro,
tua fortuna é só tua,
pois o que ofereces
é mais do que tesouro.
E num descortino
mostra para teu regalo
revelações em séries;
aventurado, és bem vindo
à sua particular Avalon.

Eduardo Lazaro
Para mais, acesse: http://ebrancaglioni.blogspot.com/
 
Avalon

A Lua de Tarsila do Amaral

 
A Lua de Tarsila do Amaral
 
A lua
Óleo sobre tela - 1928
110 X 110 cm

Localização:
Coleção particular, São Paulo, SP

(...) passo, passos, olhos, vejo
paro, perco, ao longe, avisto
entre o espaço me separo
na arquibancada deste Astro
após pretenso azul riacho,
nada mais senão o vasto
que não vejo além do pasto,
lar dos carneirinhos
destino pós sono
quando finda a contagem
da cerca salto a salto,
no outro lado, se escondem,
na meia Lua de Tarsila
do acaso ao seu planalto

Eduardo Lazaro
 
A Lua de Tarsila do Amaral

Social Ser

 
Social Ser
 
Multidão de guarda chuvas
guarda-sois, guarda-roupas;
que tipo de guarda guarda
quando olha-me de relance
e esconde fortes e chuvas
entre luzes e raios quentes
de um astro que palpita
dentre e fora da gente
e só em sociedade gravita.

Eduardo Lazaro
Para mais, acesse: http://ebrancaglioni.blogspot.com/
 
Social Ser

O amor, el amor, l'amour, l'amor, love...

 
Veio de onde não se sabe
Não vai voltar como chegou
Se foi levando o Perto
para o Longe de onde estou

Trouxe consigo Novidades
pintou e enfeitou cada dia
tirou o pó dos móveis
Deixou a casa limpa

Mas como tudo, não foi Eterno
Salvo os Momentos que ficaram
na Lembrança do Passado
a Memória insiste em chamá- lo

Não foi Eterno, como tudo,
Salvo os Momentos que ficaram
na Lembrança do Passado
a Memória insiste neste Luto

Quem sabe um dia volta
vem em outro rosto
Mostra
Como tudo é sério

Quem sabe regressa
Vai de outro modo
Leva
a Ausência embora

Enquanto não retorna
Engana com outro gosto
Mostra
que não é brincadeira

é uma idéia que não fazia
nem idéia de como seria
Cresceu com os dias
irmã da Agonia e da Alegria

Prima da Dúvida quando Nova
Filha da Vida se mostra
Seu Pai é o Tempo que passa
E a Verdade comprova...

Eduardo Lazaro
http://ebrancaglioni.blogspot.com/
 
O amor, el amor, l'amour, l'amor, love...

AUTOPSICOGRAFADA

 
Fez de conta que de fato foi
quem poderia dizer o contrário?
Suas palavras exatas como a matemática,
modernas em suas vias comunicativas
facilmente persuadem a imaginação...

Creia no que digo, não importa mais nada
Quero que você compreenda o que sinto
E peço para que ao ler com afinco
Sinta o que de fato eu finjo sentir
Quando eu pinto em uma tela de palavras
Esta fantasia a ser admirada...

Visite o blog do autor:
http://ebrancaglioni.blogspot.com/
 
AUTOPSICOGRAFADA

O Grito de Edvard Munch

 
I

Sai escarrado
Jorra pra dentro
Regurgita tinta
Tentei ignorar
Ser diferente, outro
Mas não há escolha
Não tem jeito
quando
Não há meio
caminho
desculpa?
Está lá
Desenfreio...

II

Jorra ventre adentro
10 dedos espalmados
disforme visão
no céu emoldurado
da boca do estômago
sensação indigesta
fermentada bílis
Visceral desgosto
Manancial de pragas...

III

Céu ao reverso
Vermelho sangue
Línguas de fogo
Combustão insaciável
Lamaçal oceânico
Denso azul profundo
Saliva espessa
Desgosto fixo
ao suor já seco
na carne flácida
descolada da alma...

IV

Badala alto na cabeça
pesa o fardo que empurra
boca afora em angústia
Extremos ruídos afiados
Abrem, na carne, buracos
libertam anseios macabros
crias do cinismo diário
ganham vida eterna:
Grito de sem palavras expressa!

Eduardo Lazaro
http://ebrancaglioni.blogspot.com/
 
O Grito de Edvard Munch

AQUELE

 
Sou seu espelho sem saber seu gosto,
sou seu gosto sem saber do seu rosto.
Sou o nome que você desconhece ainda,
sou aquele por quem você passou e nem notou...
EDU LAZARO
 
AQUELE

A Diferença

 
Quem vem nunca sai
igual como quando veio.
Chega no Momento Certo,
traz consigo Espelhos:

Dúvidas Panorâmicas.
Conclusivos Questionamentos.
E se vai em cada Palavra
que sempre, de alguma forma
retorna...

Eduardo Lazaro
 
A Diferença

Erros

 
Erros
 
O que um triz não faz
meio centímetro até
a distância que separa
o agora do nunca mais
para o todo sempre
no rodar incessante
de uma lembrança
que não solta a desgraça
da alma e da carne, nem
mesmo depois de tudo,
nem mesmo após o tempo
vir tomar o que apodrece
e deixar apenas os ossos de nossos erros...

Eduardo Lazaro
Para mais, acesse: http://ebrancaglioni.blogspot.com/
 
Erros

SINCERO

 
Eu a deito nas minhas pernas,
eu canto canções calmas,
faço carinho no seu cabelo, no seu rosto,
e se uma lágrima pingar do meu no seu,
é de agradecimento sincero...
EDU LAZARO
 
SINCERO

NATAL FELIZ. NATAL ARTICIFICIAL. NATAL SANTO. NATAL COMERCIAL. NATAL INFANTIL. NATAL VERDADEIRO. NATAL OPORTUNO.NATAL INFLACIONÁRIO. NATAL EMPRESARIAL. NATAL RELIGIOSO. NATAL ATEU. NATAL PÓSTUMO. NATAL SENSACIONAL. NATAL FAMINTO. NATAL AGRADÁVEL. FELIZ?!

 
Fome além da conta;
quem paga excessos?
Prato cheio é luxo.
Não só de sono ronca.

Dorme em paz, menino!
A árvore brilha estrelas,
e o céu é tão vermelho,
mas tão vermelho; morangos.

Oremos à vez, certeira
ao alvo, bem em cheio a
acertar medidas, achar
o meio; a parte inteira.

Noite feliz! Noite Feliz!
Ó Senhor, Deus de amor!
Da mãe terra ao céu,
joelhos dobrados, em louvor.

Debaixo da árvore, presentes
diversos; muitos outros,
ausentes, culpa da profundidade
dos bolsos; devore o disponível,

todo o espaço em branco,
cada linha sem história.
A memória, para ser franco,
é fraca igual á carne, nossa.

Data santa, época farta
de $orrisos e alegria ao redor.
A fórmula ganha vida, é magia!
Contagia os olhos neste calor.

Compramos o divino, à vista
ou á prazo, no boleto ou cartão.
Cada centímetro, um preço justo;
mega investimento empresarial.

É feriado, ansiedade
às vesperas já borbulha.
Você vende ou aluga,
ou doa seu suor e holerite.

Mas não se esqueça da causa,
da causa. Da causa verdadeira,
pura e imaculada. Aquela, digna
e sem preço; a que não se vende,

a que não se compra. Você a sente?
É comercial, artificial, inflacionária.
A fé á mesa, o olho brilha! Sensacional!
Feliz de verdade? Só o amor garante.

Edu Lazaro
 
NATAL FELIZ. NATAL ARTICIFICIAL. NATAL SANTO. NATAL COMERCIAL. NATAL INFANTIL. NATAL VERDADEIRO. NATAL OPORTUNO.NATAL INFLACIONÁRIO. NATAL EMPRESARIAL. NATAL RELIGIOSO. NATAL ATEU. NATAL PÓSTUMO. NATAL SENSACIONAL. NATAL FAMINTO. NATAL AGRADÁVEL. FELIZ?!

Noite estrelada de Van Gogh

 
Versão resumida:


Noite estrelada
espiral de ponta a ponta
Entrelaça pinceladas
Sulca forte esta tela
desenha caminhos
por onde a vista passa
Meia Lua acesa
Forte luz amarela!

Noite estrelada
espiral de ponta a ponta
cada estrela uma galáxia:
tantos outras noites estreladas...

Eduardo Lazaro
http://ebrancaglioni.blogspot.com/


Meu blog - Passagens poéticas

Versão integral:


Noite estrelada
espiral de ponta a ponta
Entrelaça pinceladas
Sulca forte esta tela
desenha caminhos
por onde a vista passa
Meia Lua acesa
Forte luz amarela!

Gélido hálito
Infinito azulado
armadilha quem admira
deste silente posto.

Flutuam candelabros
acesos sinais guia
oscilantes nuvens
modela o horizonte
ligado ao máximo
a cidade abaixo
holofote vigia.

Daqui de cima
privilegiada vista
vê-se abaixo:
parte das residências
seus tetos, a igreja,
as árvores, fartas
copas sobre as ruas
imaginária província.

Disputam na perspectiva
apontam seu alcance
a torre daquela igreja
e esta pontiaguda folhagem.

Noite estrelada
espiral de ponta a ponta
cada estrela uma galáxia:
tantos outras noites estreladas...

Eduardo Lazaro
http://ebrancaglioni.blogspot.com/
 
Noite estrelada de Van Gogh

O Nascimento de Vênus de Boticelli

 
O Nascimento de Vênus de Boticelli
 
Das Ondas
Nua às Margens
Doce e Eterna
Renascente Jovem.

Vinda do Céu
À mando do Tempo
Concebida por Dione,
de Zeus, filha.

Nobre Formosa d'água
Vindo do sopro d'oeste
Bela recém concebida
Exalada entre Rosas

Esconde o que oferece
Convida que a desvende
Revela aos Homens
Encantos que os rende.

Eduardo Lazaro

Acesse o blog para ver a imagem do quadro e uma imagem explicativa:
http://ebrancaglioni.blogspot.com/



Sobre o quadro:

O pintor renascentista italiano Sandro Botticelli produziu o quadro em 1485-1486.
Feito em tempera sobre tela, a obra encontra-se exposta na Galleria degli Uffizi, em Florença, Itália. O desenho simboliza o nascimento da beleza através do nu feminino.
 
O Nascimento de Vênus de Boticelli

FELICIDADE

 
A lógica contraria o maior sentido da vida:
sonhar é uma circunstância espontânea.
Não sei o segredo da felicidade, mas sinto
felicidade quando estou perto mesmo longe...
EDU LAZARO
 
FELICIDADE

Eduardo Lazaro

Para mais, acesse:

http://ebrancaglioni.blogspot.com/

Contato : branglioni@ig.com.br