Poemas, frases e mensagens de luisadrumond

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de luisadrumond

http://luisadrummond.blogspot.com/


A Fada
Eu sou sol de primavera
Sou haste dum casto lirío
Sou flor bela
Sou fio de ouro em mil divinos raios luminosos.
Sou a fada de Vênus...
A

Distancia

 
Distancia
 
 
Distancia

Á LUIS

Luis foram as lágrimas.
As lágrimas de saudades,
Dos amores de nossos antepassados,
Foram estes prantos derramados...
Que formou este imenso mar de sal...
Entre Brasil e Portugal...
Oh! distancia...
Tu fere-me na alma com um punhal.

Amor espera-me...
Pois não ei de tardar,
Já estou a adormecer
Estou indo!
Já sinto minha alma florescer.
Estou voando...no luar.
Voando para junto de ti...
Estou indo! Indo! Amor...
Nas asas do meu sonhar.

Oh! Amor meus pés já estas a pisar,
No campo do trigal.
Que doce fragrância estou a respirar
Já estou a sentir o perfume,
O perfume do tejo o perfume de Portugal.

Oh!Luis afaga-me...
beija-me...
abraça-me...
Prenda-me em ti...
Luís não deixe-me partir...

Não quero despertar...
Amor faça-me ficar!
Prenda-me em teus braços
Luís quebre-as minhas asas de cristal,
Pois quero ficar em teus braços Lís...
Envolta em teus braços Meu Príncipe,
Nos braços do tejo...
Nos braços de Portugal.

Domingo, 21 de Outubro de 2007
poema luisa drummond
 
Distancia

Não há luar

 
Não há luar
 
 
Não há luar

Sem a luz do teu olhar
Nas noites do Tejo não há luar
Não há luz nem estrelas
Não há mais fadas iluminadas
Nem tinta de ouro
Nem diários de amor
Não há mais primavera nem Florbela em flor
Não há mais beijos ardentes a boca
Não há mais alma apaixonada
Não há borboletas nem margaridas
Só há escuridão e ruínas
Não há mais perfumes nem brisa morna
Desmorona-se o castelo de vila viçosa
Morrem de sede os alegres colibris
Pois não há mais jardins
Secaram-se os campos floridos
Não há lírios
Nem gardénias
Nem rosas
Há apenas estes versos caídos duma lágrima
Nesta noite escura fria e silenciosa.
Deus como te amo.

Segunda-feira, 22 de Setembro de 2008
 
Não há luar

Danço para ti

 
Danço nestes versos; imersos de teus olhos...
Danço contigo numa eternidade. em meus pensamentos
Danço descalça e vestida de luto!
Danço a rir e a chorar!...
Danço com um e com mais outro,
Danço com toda a gente!
Danço com eles, embriagada e louca...
Mas somente a ti eu soube amar!
Tanta saudade cá eu tenho,
Dos beijos doces desta tua boca!
E dos cravos vermelhos que me destes,
Com tuas palavras nas brisas soltas;
Danço contigo de rosto colado,
Danço com o cheiro de tua alma,
Que em mim estas impregnado.
Danço sempre contigo!
Ó meu cálido amado;
Danço no luar saudoso de lágrima.
Danço em teus braços!
Esta noite danço para ti...
Somente para ti Luís,
Danço só em meus sonhos vagos.

Poema Luísa Drummond
segunda-feira, 20 de setembro de 2010
02:24:26
 
Danço para ti

FALO DE TI

 
FALO DE TI
 
 
Falo de ti

A Luis

Falo de ti amor... apaixonadamente
Falo de um raio sol...
de uma estrela cadente
Que um dia vi brincar no teu olhar,
Falo das esverdeadas chamas que desdobra a faiscar,
luzindo como duas fadas vestidas de esmeraldas a bailar
Falo dos teus claros olhos que me aprisionaste neste intenso amar
falo de ti meu desejo além do mar
falo de ti meu anjo de doce beijo ao romântico luar
falo de ti amor em forma de flores perfumadas
depois das noites consteladas
falo de ti...
falo das pétalas de chuvas de esmeraldas...
Que tens o teu meigo olhar
falo de ti amor dentro do meu peito a bailar
escrevo para ti amor nesta solitária madrugada
falo de ti amor com a minha alma apaixonada.

Poema Luisa drummond
 
FALO DE TI

Violeta

 
Violeta
 
 
VIOLETA

Olhos de gata lábios cor de violeta,
Ela gentilmente passa com suas rebeldes madeixas
Meigo, sois o casto olhar das ninfas Pálidas,
que ao luar, sonham adormecidas
Sobre as asas de borboletas

Ela tens o doce cheiro de jasmins e margarida.
A lagarta abandonou seu velho casulo
ela agora é bonita?
Violeta passa em Gargalhadas e beijos...
Lábios quentes de sonhos e desejos,
Antes pisoteada nos canteiros dos amores
Agora é a bela exaltada
pôr sobre as pétalas da flores

Carícias sensuais d´amor rima e gozo;
Ela ama o crisântemos misterioso
O coração d”ouro de Évora
Aquele que veio do Tejo
A qual um anjo
Mais leve que o ar
É viu na bela violeta a beleza...
Que muitos pobres cegos ,
Nunca puderam enxergar!
A alma de violeta és tão doce de olhar!
Mas para ti É tarde, tarde,
muito tarde!

Poema Luisa Drummond

Muito obrigada!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008
 
Violeta

O CASAMENTO DE ZEUS peça teatral

 
O CASAMENTO DE ZEUS peça teatral
 
O CASAMENTO DE ZEUS

personagens principais do texto :

A flor de lis (uma flor que conta a historia)

Alzeídes a ninfa das flores

Zeus o Deus das tempestades

PARTE 1

FLOR DE LIS

Sem o amor de Zeus toda a força da natureza abandona a ninfa das flores

O diário duma ninfa

Azeides escrevendo em seu diário

O meu amor pôr Zeus

Ah! amor estou morrendo neste leito sem calor
minha alma vaga um canto....
saudades. suspiros e dor.

Foi numa linda tarde de primavera...

onde me tornei azeides nomeada pêlos Deuses a ninfa das flores,

Entre os jardins estava eu ,escrevendo versos de amor.

eu sentia nos toques das brisas ....um suave calor

mas eu não sabia de onde vinha ....

mas eu podia sentir ele tocar a minha alma. era (Zeus)

Os perfumes se derramavam, pôr sobre as pétalas que brincavam ao vento.
tão felizes flutuavam, enchendo o mundo de cor eu ali sentada escrevendo versos,
à brisa a espera do amor.
No entanto Zeus chegou ...dizendo mil doces palavras. e o meu coração se apaixonou.
este amor foi um delírio fui rosa, margarida é lírio
passei dias escrevendo para Zeus.....
Manhãs.
Tardes
Noites
todas palavras dentro de mim ele roubou.
eu o amei com todo o meu ser ....
Meu deus! quais foram os feitiços?
que este ser me lançou?
pôr Zeus só sei sentir amor.... amor....
passo dias inteiros pensando nele,
mesmo que eu nunca tenha o tocado, beijado.
ele me enlouquece, já nem sei quem mais eu sou!
em algumas tardes ele me quer...
em outras manda-me embora...
Zeus quer ir em busca de outros amores,
pela vida a fora...
isso é culpa do doido cupido,
e da doida fada dos desejos meus
que faço? para tirar você de dentro de mim ?
Zeus ,como tentar te esquecer?
se só penso em você.
todos os meus sonhos agora são teus...
Zeus também é um escritor ,um poeta que escreve,
lindos contos ,muitos parecidos comigo
mas ele diz que eles não são meus...
Ah! meu deus!
quem sou eu para compreender o amor de Zeus.

A FLOR DE LIS

Sabe azeides melhor mesmo era quando o amor
era apenas um perfume...
que perfumava os jardins dos céus....
pôr muito tempo o amor ficou guardado,
num grande frasco de cristal...
protegidos pôr guardiões celestiais....
mas um dia um guardião cujo o nome ( cupido )
desejou beber...
uma gota de tão doce fragrância..
lançou uma de suas flechas
no frasco que partiu em mil pedaços
E assim o amor se derramou...
em todas as partes do mundo
perfumando flores ,poetas , artistas , escritores.
inspirando-nos para escrever palavras .
que seduz até nós mesmos..

AZEIDES

Ah! FLOR DE LIS o amor deveria ter sempre a leveza,
das pétalas que brincam ao vento....
pois sinto dor e amor ao mesmo tempo...
pois amo Zeus o poeta Deus das tempestades
Aquele que escreve lindos contos de amores
que não são meus....
Ah! AMOR .... Ah! DOR....eu sinto pôr amar Zeus...

Agora eu preciso me deitar
Ouço a palpitação sorridente das asas do meu sonhar
Preciso adormecer pois em meus sonhos Sinto teus braços amados vindo me abraçar Zeus preciso dormir para contigo sonhar
Os céus se estendem pelo teu olhar,
Pois dentro deles aprisionados estão sete raios claros do luar:

Esta tua luz me alimenta me fortifica me completa
Longe de ti toda a força da primavera me abandona
preciso tanto de ti para florir e completar o meu ciclo
Já que, toou fraca demais meu amor para perde-lo,

A flor de lis

No entanto a ninfa alzeides adormece durante um ano
Muda-se as paisagens passa-se as estaçoes

Parte 2

O novo nascer da primavera

Flor de lis
Nasce mais uma vez a primavera...
um vento perfumado sopra as duvidas
Muda-se a pagina do diário
Leva para distante as dores e nasce as sementes dos amores.

Azeides

Amado nasce a primavera
Zeus em pensamentos levo-te, em meus braços!
Semeio-te em meus jardins. Pois quero que tu beba os perfumes no despertar das flores.
Estas flores! Alvíssimas, puras serenas, Que as fadas tecem carinhosamente... pétala pôr pétala com as suas mão pequenas.
quero que tu ouça agora em minhas palavras e sinta a respiração suavíssima das flores.

Zeus
Sim azeides irei contigo me de tua mão vamos passear...
entre as moitas de jasmins, entre os rosais perfumados.
Vamos caminhar apaixonadamente ate que a noite orvalhada no céu se debruce, até que A flor adormeça no campo.
fica junto a mim ate que o sol se ponha
ate O último raio da luz E o último canto das aves.
Amor Não tema meus sentimentos pôr ti...
eu vim do seu coração Só para te ver e te beijar.
Abra junto comigo o misterioso livro do amor... para escrevemos nossos nomes lado a lado.
Deita-se comigo! dorme sobre o fresco pomar, das doces laranjeiras.
Respire comigo o mesmo ar ,os mesmo perfume debaixo do mesmo céu,
das mesma estrelas.

Azeides

Ah Zeus Prometa-me amado que Não me deixara ao amanhecer
pois só contigo posso voar, sobre o leito da primavera.
Só contigo posso tornar-me um anjo, que feliz brinca no campo azul... a semear rosas.
Fica comigo abre a janela de tua alma deixe-me entrar.
Pois este amor nós tornara dois anjos alvos e pequeninos.
Amor eu só quero te contemplar de mais perto; só quero permanecer brilhando nesta primavera. Nós dois céus amorosos dos seus olhos divinos.
Amo-te
Se eu pudesse colocar todos os meus sentimento pôr ti...
dentro de uma garrafa
eu beberias tudo de uma só vez para nunca mais te perder.

Zeus
Sim amada prometo que estarei sempre contigo
Sou teu cativo, Aprisiona-me em teus jardins...
Azeides Casa-se comigo!

PARTE 2
O DIA DO CASAMENTO

FLOR DE LIS

A luz solar risca no céu as sete cores de um colorido arco de íris...
Debaixo destas cores as fadas dançam e cantam em uma linguagem mágica do amor
Hoje é o casamento de Zeus e azeides.
Comam e bebam ate ficarem embriagados nos jardins da festa na flor.

O CASAMENTO



A NOIVA Alzeídes a ninfa das flores

Oh! Amor enfeita-me os meus cabelos,

Com as flores perfumosas das laranjeiras...

Vista-me Fadas A qual os anjos com o branco da pura seda.

Traga-me! Querubim, um ramalhete de jasmins e um colar de estrelas.

Ande de pressa! Cupido ;Leve-me para o amor de Zeus...

Porque Tu tarda tanto?

Apressa-te! Pois aos pés do altar Zeus esta a esperar-me.

Os elfos já enfeitaram, com flores e laços a santa igreja..
.
Sinto no ar os perfumes das doces rosas.

Ouço no vento os sinos tocando...

Não esqueçam! As alianças anjos crianças,

Pois. Nas brisas ouço a voz do meu amado, ele esta me chamando...

Duendes peguem os cavalos, preparem a carruagem.

A flor- de –lis

AlZEíDES A CAMINHO DA IGREJA...
Os cavalos voavam, nas asas dos pensamentos da noiva menina.
O coração de azeides batia tão rápido o corpo dela estremecia
Pulsava fortemente em suas veias o toque dum intenso sentimento.

AlZEíDES CHEGA A IGREJA
Abrem-se as portas...
Os convidados todos se voltam para a noiva,
Em murmúrios dizem!
Olhem! Olhem!
Vejam! Vejam!
A noiva de Zeus...
Alzeides a ninfa deusa.

A NOIVA Alzeídes a ninfa das flores

Oh! Amor de minha vida...alma de minha alma...

Lá esta o meu amado Zeus com quem ei de me casar!

Ele me espera tão amorosamente aos pés do altar.

O NOIVO Zeus o Deus das tempestades

Vem vindo Alzeides a minha amada noiva...

linda! Vestida com os lírios brancos dos campos.

Meu peito pôr ela derrama-se de amor

Pois posso ouvir o coração dela bater forte pôr mim...

sinto a sua respiração ofegante pôr traz das pétalas de seus mantos
.
.
Tão linda! És a minha noiva...

Minha cálida amada ninfa,

Estrela rainha,

Deusa flor.

Em nem uma parte do mundo meu amor...

Já houvera nascido uma rosa mais fresca e bela.

O quanto eu a amo! Meu coração para sempre será dela,

Elfos abram a gaiola pôr favor! Solte o encantado beijar flor...

Para que ele cante para alzeídes,

O canto eterno do amor...

A NOIVA Alzeídes a ninfa das flores

Amado!

o seu amor perfuma minha alma como um bálsamo...

prometo! Para sempre te amar.

Se eu nascer pôr mil vezes ou mais,

Juro-te! Sempre que contigo ei de me casar.

A flor- de –lis

DUAS PÉTALAS PERFUMADAS DE LÁGRIMAS
Dos olhos de alzeídes se derramou...
Zeus a aliança no dedo de sua amada colocou:
Se uniram pára sempre num doce beijo eterno
Para sempre juntos unidos nos laços do amor.
A peça de teatro agora termina
descem os dois amantes do palco
se olham e se beijam num ultimo suspiro
apagam-se as flores
fecha-se as cortinas.

Texto Luísa Drumond
 
O CASAMENTO DE ZEUS peça teatral

Quem és tu?

 
 
Quem és tu? Ó gracioso e amoroso moço,que acaricia agora os meus sentidos adormecidos em desejos...
Quem é deveramente tu?Como te chama?
Jocélio? Adriano?
Qual é o teu nome?Eu não sei..!
Para onde vais? De onde vens?
Não,eu não sei...
Apenas conheço o toque dos teus lábios no meu corpo;
E o calor da tua lingua deslizando mansamente em minha pele...
Tudo se perde ao meu redor quando estou contigo...Nada mais existe lá fora.É só você e eu entre as quatros paredes a meia luz de meu quarto!
Mergulho de olhos fechados nos teus mistérios e me deixo levar pela correntezas de meus loucos anseios.
permito que teus dedos penetrem em minha pele,como gotas de água, derramadas em terras sedentas de desejos...
Apenas conheço completamente de ti...
o teu cheiro, e os caminhos ardentes de teu corpo!
Onde me encaixo, completando assim, o vazio do meu eu
No auge do “cio” e na luxúria do momento,
acolho-te nas noites clandestinamente sem saber quem é você!
Quebram-se as regras, Que importa é saciar,
o desejo imenso de ter e amar.

Luisa Drummond

segunda-feira, 18 de outubro de 2010
 
Quem és tu?

O dançarino de Évora

 
O dançarino de Évora
 
 
A chuva cessou. Como uma lágrima de prazer, o orvalho derrama-se sobre o tímido desabrochar das flores.
Oh! Vila Viçosa suas Chuvas são como gotas das rosas dos amores derramando-se Nas noites dos meus sonhos, em ti vejo campos belos e floridos onde ate os pássaros cantam mais divinamente absorvendo o doce o perfume das flores do Alentejo no amanhecer.
Cai na terra as ultima gotas de chuva O vento empurra as pesadas e negras nuvens para outras terras abençoar. Restam apenas as poças de água, refletindo o céu num doce tom azul...As Libélulas das asas transparentes em seus vôos leves pelo ar.
A luz solar risca no céu as sete cores de um colorido arco de íris... Debaixo destas cores as fadas dançam e cantavam em uma linguagem mágica do amor .
Quando surge ele o dançarino de Évora simplesmente belo quanto um raio de luz
Numa noite escura...
A sua doce aparição penetrou por todos os meus sentidos...eu amei com toda a força do meu coração...
Tão lindamente ele dança se vira e olha para mim, de seus lindos lábios ouço o murmúrio das mais belas palavras de amor. Que em toda a minha existência eu jamais ouvi...ele se aproxima... Sinto um arrepio percorrer o meu corpo.
Ele amorosamente toca-me na minha mão convida-me a entrar na dança e neste momento arranca de mim a minha alma... Me arrasta para dentro dele... Não mais me pertenço... Agora sou inteiramente do dançarino... Pois o coração dele é agora o meu abrigo.
Impregnada do cheiro dele em mim derramo uma lágrima perfumada com essências de jasmins. Ele vem seca a lágrima com um beijo e me faz rir semeai-me entre as rosas aprisiona-me em teus jardins mas faz sua cativa flor-de-lis.
O dançarino colhe uma flor só para depositá-la por trás de minha orelha coroa-me de amor... Chama-me de princesa... Sorri e diz que sou flor bela Mãe-Natureza
Envolveu-me nos braços dele é abraçou-me fortemente com as asas de Eros dominou os meus sentidos explorou o meu prazer. Me digas dançarino como eu poderia? Não amar-te
E no findar do dia Como uma leve brisa, ele se vai e junto a ele leva-me alma.
Não posso vê-lo mas posso senti-lo dentro de mim...
Abençoada sejas a chuva, que faz crescer a minha esperança em verdes pastos. Que ele há-de vir em um amanhã inesperado e inexplicável. Pensando nele eu adormeço
Passa-se o tempo não sei dizer se foram dias... Anos ou séculos pois a saudade me entorpeceu...
Numa nova manha vem um pássaro pousa em minha janela, despertando-me com um lindo canto no ar.
Levanto-me olho para o jardim e vejo o meu amado amor...
O belo dançarino de Évora em suas vestes místicas, ele dança com pés descalços em meio O perfume da grama que exala sensualidade em um ar úmido e purificador. Ele, dança para mim o tango sagrado do amor o seu corpo tens os movimentos sensuais e leves....

Meu coração bate forte...
Imensa alegria me invade, minha alma refloresce a Dança à música mais uma vez me envolve, uma chuva perfumada do céu começa a cair
Eu corro para ele... Ele me abraça O bailado é pausado pôr uma corrida repentina ao meio das árvores molhadas pelo orvalho gotejaste em cantos melodiosos pôr risos e sorrisos. Mas junto a ele o dia passa tão rápido...
Quando vens o entardecer...mais uma vez o dançarino se vai... Deixando-me uma rosa do Tejo para enfeitar os meus cabelos e nesta rosa Ta o sabor dum doce beijo..
Pensando nele mais uma vez eu adormeço... sonhando...sorrindo chorando amando-o regando a minha insistente espera
No entanto só os deuses sabem onde estas o dançarino de Évora.

texto luisa drumond

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008
 
O dançarino de Évora

Amado

 
Amado
 
 
Amado

A minha alma...
Tens na face a beleza duma viçosa rosa
E os perfumes dum casto jardim
Onde vives as artes e as poesias num beijo perfumado de lis
Em minha alma florescem açucenas e jasmins
Amado
A minha alma tens a melancolia harmoniosa
Dum verso de amor...
Em minha alma tu encontraras um perfume que traz...
Ora um suave frescor
Ora um suave calor
Amado minha alma es pura...frágil...delicada
Em vives em mi a alma duma flor...

luisa Drummond
 
Amado

PALPITAÇAO

 
PALPITAÇAO
 
 
PALPITAÇAO

E ouço a palpitação sorridente das tuas asas
Sinto teus braços amados vindo me abraçar
Os céus se estendem pelo teu olhar,
Pois dentro deles aprisionados estão sete raios claros do luar:

Esta tua luz me alimenta me fortifica me completa
Longe de ti toda a força da primavera me abandona
Amo-te assim Luís
preciso tanto de ti para florir e completar o meu ciclo
Já que, toou fraca demais meu amor para perde-lo,

sábado, 2 de agosto de 2008
 
PALPITAÇAO

Nasce a primavera...

 
Nasce a primavera...
 
 
Nasce a primavera...
Em pensamentos levo-te,
Em meus braços!o semeio em meus jardins. Pois quero que tu beba os perfumes no despertar das flores.
Estas flores! Alvíssimas,puras serenas, Que as fadas tecem carinhosamente... pétala por pétala com as suas mão pequenas.
quero que tu ouça agora em minhas palavras a respiração suavíssima das flores.
Vem comigo amor me de tua mão vamos passear...
entre as moitas de jasmins,De entre os rosais perfumados.
Vamos caminhar apaixonada-mente ate que a noite orvalhada no céu se debruce, até que A flor adormeça no campo.
fica junto a mim ate que o sol se ponha
ate O último raio da luz E o último canto das aves.
Amor Não tema meus sentimentos por ti...
eu vim do seu coração Só para ver-te e beijar-te.
Abra junto comigo o misterioso livro do amor... para escrevemos nossos nomes lado a lado.
Deita-se comigo! dorme sobre o fresco pomar,das doces laranjeiras.
Respire comigo o mesmo ar ,os mesmo perfume debaixo do mesmo céu,
das mesma estrelas.
Não me deixe só... pois só contigo posso voar,sobre o leito da primavera.
Só contigo posso tornar-me um anjo, que feliz brinca no campo azul... a semear rosas.
Vem comigo abre a janela de tua alma deixe-me entrar.
Pois este amor nós tornara dois anjos alvos e pequeninos.
Amor eu só quero te contemplar de mais perto; só quero permanecer brilhando nesta primavera. Nós dois céus amorosos dos seus olhos divinos.
Amo-te
Se eu pudesse colocar todos os meus sentimento por ti...
dentro de uma garrafa
eu beberias tudo de uma só vez para nunca mais te perder.

texto luisa drummond
 
Nasce a primavera...

SUA FOTOGRAFIA

 
SUA FOTOGRAFIA
 
 
SUA FOTOGRAFIA AMOR

Tinha alguns dias que eu tinha completado 30 anos de vida, mas eu ainda não tinha crescido ainda sonhava todos os sonhos de uma menina
Vivia os dias tranqüilos, e com as noites de sonhos cor-de-rosa. Sonhava. Sonhava...
Pelo sonho, viajava em ilusões fantasiadas. Pela internet eu Navegava... A bordo das gaivotas, esvoaçava pelas transparências do azul Índico, em busca de alguém que me completasse. Aprendia a viver. Era feliz o coração! Sempre em busca das Pelas estrelas
De novos amores, vagueava! Sonhava com as ilhas das doces fragrâncias, perfumadas por árvores de mil cheiros. Embriagava-se de exóticos perfumes.
Pertenciam-lhe já os mistérios, as belezas, os perfumes, as cores...
Os labirintos Sonhava com as praias nuas e desertas de paixão

Até que um dia...Inesperadamente surgiu um outro coração.
Era meado de Setembro de 2007 dias de primavera no meu tropical país... Como de costume lá estava eu a frente do meu velho computador postando poemas de amor no meu diário virtual um cheiro de jasmim no ar passeava. Quando notei a linda imagem de um moço numa fotografia ao vê-lo através daquela foto senti uma estranha sensação de já tê-lo o visto....mas onde?? Só pode ter sido em meus sonhos
Foram os olhos mais lindos que já vi em toda a minha vida me faltou o ar meu corpo todo estremeceu...o mundo todo silenciou ao meu redor

Tudo parou apenas girava em torno de mim aquela fotografia o olhar daquele moço me invadiu na alma senti meu coração ser arrastado como um lírio nas correntezas do amor
Eu não sabia nada sobre ele... No entanto tinha a certeza que eu o amava de longa data,
Nunca saberei explicar ao certo o que se passava comigo durante os intermináveis segundos que fiquei ali parada olhando, hipnotizada por aquela foto
Eu fechei os meus olhos e puder ver o sorriso dele se materializar em minha mente sentir-me tomada de um cheiro quente e levemente adocicado
Oh! Ele tinha os olhos mais sensíveis que eu já conheci...
Aquele menino tinha estrelas cadentes pulsando no olhar

Eu precisava saber tudo sobre aquele moço da fotografia
Entrei em seu perfil que ainda a página estava em fase de construção
Apenas uma única foto ali postada a foto que levou meu coração e algumas linhas escritas...que contava um pouco dele vi que ele era de um lugar longínquo nas doces terras de Portugal... No alentejo.
Vi também que tínhamos algo em comum o mesmo nome...
Eu resolvi escrever para ele...Pois eu tinha que deixar uma mensagem a ele dizendo que ele tinha olhos lindos...do mundo.
Muito atencioso logo me respondeu agradecendo e deste dia adiante passamos a nos falar diariamente nos correspondendo pelo mensenger

Falamos de vida sonhos, amor, trabalhos, artes, poemas, dança, teatro desejos, magoas, dores saudades e família...
Foram os dias mais belos de minha vida ele me fazia rir o tempo todo ele é um grande menino arteiro que veio inesperadamente como um pássaro e Pousou em meus braços.
Amorosamente Aqueceu meu coração num suave calor
Beijou-me com as palavras que saiu daquela divina boca...
Acariciou-me com a felicidade.
Trouxe-me mil ramalhetes com flores de açucenas Falou-me de amor
Meu amado És tudo que de mais agradável perfume cheira. Rosa, jasmim, lírio e laranjeira.
Vivemos assim durante meses, quando ele vinha para mim era como se um raio de sol se desprendesse do céu iluminando meu mundo.
Mas como um perfume leve as brisas o roubaram de mim...
Nunca mais tive noticias...De meu menino dos olhos mais sensíveis que já conheci. Sem ele são ermos os caminhos,
Não há luar nem rosas; somente resta-me noites silenciosas, mas eu guardei o brilho dos olhos dele dentro dos meus poemas de amor...
Quando sinto saudades dele eu abro meu sol de primavera e sinto o cheiro dele...
O Amo tanto! E nunca o beijei. Ou o toquei.E nesse beijo, de Amor, que eu não dei
Guardo os olhos do meu amor nos versos mais lindos que fiz. Amo-te meu raio de sol aprisionado numa fotografia no meu coração.

TEXTO LUISA DRUMOND
31 de janeiro de 2008
 
SUA FOTOGRAFIA

O amor é toda bondade

 
O amor é toda bondade

a um peixinho

Quando estamos amando!
Todo o luar se derrama de amor,
O ar tem o cheiro de rosas brancas,
Dum rosal do céu em flor.
O amor é chama doce que arde!
Raio de sol do oriente...
Flor, fruto e semente!
É perfume que exala das rosas e margaridas
Pétalas entorpecidas com o seio a palpitar
Primavera, Verão, Outono e Inverno.
Manhas, Tardes e Noites.
Mares, Terra e infinito...
Olhos, boca e beijos!
Imensidão! Onde não cabem os desejos,
Amor é ter no coração mundos inteiros...
É fechar os olhos e acreditar!
Nas lendas, nos sonhos, e nos milagres,
Que existe nos lindos versos de antigos romanceiros.

sexta-feira, 22 de maio de 2009
00:19:49

Luisa Drummond
 
O amor é toda bondade