https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

O eterno de nós

 
Tags:  eu    nÓs    tu  
 
Neste tempo, neste mundo
somos o que somos,
um pouco de nós

Na pertença do cosmos
somos o verdadeiro nós
esse que perseguimos
no eterno de nós

Neste instante, aqui…
existe um pouco de nós
na ambivalência das coisas
onde o equilíbrio
desequilibrado
equilibrante,
reina, no reino da vida

Aqui…
neste preciso momento
tu és o que és
eu sou o que sou
e o nós… quase não existe

Mas lá….
o tu não existe
o eu não existe
e o nós prevalece
na união de todas as vidas

Escrito a 29/09/09
 
Autor
Liliana Jardim
 
Texto
Data
Leituras
1136
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
25 pontos
9
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/09/2009 22:49  Atualizado: 29/09/2009 22:49
 Re: O eterno de nós
Aqui, existe um pouco de ti, um pouco de mim em nós.

Porque todos nós somos partículas de cada um; de ti, de mim de vós.

E lá no cosmos seremos o todo disperso em cada um de nós!


Uma reflexção muito bela do que somos e do que seremos!

Beijo azul

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 29/09/2009 22:56  Atualizado: 29/09/2009 22:56
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: O eterno de nós
Mais do que nunca, Lili, devemos e podemos
procurar essas forças de equilíbrio,
principalmente quando as dúvidas do que somos
persistem e nos atiram para a confusão do quotidiano e de uma realidade por vezes brutal.
Gostei muito do poema do qual destaco...

"Aqui…
neste preciso momento
tu és o que és
eu sou o que sou
e o nós… quase não existe!

Um beijo
Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/09/2009 23:41  Atualizado: 29/09/2009 23:41
 Re: O eterno de nós
Uma reflexão muito bonita...devemos ser um pouco de ti,um pouco de mim um pouco de nós assim o conviver seria mais fácil em todos os momentos
Abraços

Enviado por Tópico
poesiadeneno
Publicado: 30/09/2009 00:01  Atualizado: 30/09/2009 00:01
Colaborador
Usuário desde: 27/06/2009
Localidade:
Mensagens: 1407
 Re: O eterno de nós
Liliana,

Uma interessante reflexão acerca da nossa existência, e do nosso papel no Mundo. Apreciei.




Bj

Enviado por Tópico
ÔNIX
Publicado: 30/09/2009 12:12  Atualizado: 30/09/2009 12:12
Colaborador
Usuário desde: 08/09/2009
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2695
 Re: O eterno de nós
Liliana, muito belo o teu poema

Somos nós e tantos outros,
que os nós abrem-se num abraço equidistante

Beijo


Matilde D´Ônix

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 30/09/2009 12:22  Atualizado: 30/09/2009 12:22
Colaborador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 2699
 Re: O eterno de nós
para além da mensagem implícita,este poema está um primor,recorres a "nós" num combinar ritmado apropriado aos vários " nós" que vais tecendo.

beijo

Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 30/09/2009 23:50  Atualizado: 30/09/2009 23:50
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11186
 Re: O eterno de nós
Lili,
Somos todos parte do todo e que ninguém pense valer alguma coisa por si só.
Um poema brilhante.
Beijinhos na alma
Nanda

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/10/2009 19:53  Atualizado: 02/10/2009 19:53
 Re: O eterno de nós
À Distância De Um Olhar

Chegam-me afagos á distância de um olhar
Perpetuados pelo azul que te rodeia
Pelas flores em forma de sol
que adoras e te encantam
Banho-me nos azuis profundos
Em palavras (e)ternas
Sentires á distância
O que nunca te direi
Em loucuras de Sol
Melodias que me chegam
Em ventos de Mar
Gosto de Mel
Misturas de maresia
Bebo os teus afagos
Em palavras que não entendo
Sonho...intemporal
Águas profundas
Onde mergulho ao teu encontro
Em danças delicadas
O teu beijo doce que imagino
Palavras soltas ao vento
Nas músicas que me ensinas
Onde controlas devaneios
E soltas sentimentos

By Beijo Azul@

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/10/2009 22:54  Atualizado: 02/10/2009 22:54
 Re: O eterno de nós
Espero-te No Tempo De Mim (dueto)

Sinto o beijo nas incandescentes marés
em ondas de meiguice, esculpo o desejo
embalado em saborosas maresias
rochedo onde deposito suavemente o beijo
faço lentamente a viagem em quimeras
nas tuas mãos, imagino estrelas cadentes
em brilho fulgente de lua cheia

Contemplo o mar que me sorri
estendo-lhe os braços trémulos
encurto distancias invisíveis
nele delineio alamedas
ornadas de lírios brancos

E a doce brisa acaricia-me
na saudade de mim.
nesta noite de magia
onde os sonhos cavalgam
o tempo que não chega
nesta espera sem fim

By Beijo azul e Liliana Maciel