https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Não trago mais saudade, fui embora!

 
Open in new window


Não trago mais saudade, fui embora!
As lágrimas esqueci e os silêncios do meu ventre
ficaram num barco partido à deriva dum sol esquecido
... estou ausente do teu mar
fui chuva na despedida
e agora, vento solto!

Não trago mais saudade, fui embora!
Minha alma, pendurou o suco das tardes
e dos medos, inquietas quimeras de tambores
arrastados por sons acumulados
no tempo da minha mente...
... não trago mais saudade, fui embora!

Se continuares à minha janela, já lá não estou!
Meus sentires foram seiva pelo meu corpo a dentro,
fui o que fiz e fiz de mim meu pensar
e das ingénuas tréguas, queimei longas tardes
esqueci de mim por ideias da tua presença
não trago mais saudade, fui embora!

Silenciei pássaros de longe alcance
dentro do peito cantei-os, dia e noite
dos meus poemas acendi velas,
sustentei caricias e voei
voei num veleiro distante do teu fogo...
... isso é amor?

O perfume que me vestiu, não sabes
mas foram singelas estrelas cadentes...
... acolhi-te em cada uma delas
como espartilhos e notas de musicas suaves
não trago mais saudade, fui embora, parti!
Parti também o desespero da velha guitarra
e das cordas dos meus momentos,
deambulei pelo grito da vida para ouvir-te num eco,
mas nunca te ouvi!
Por isso fui embora...
... a saudade não trago mais!

O espírito que me embarcou não é meu, aprendi!
Do frágil da amargura fiquei cansada
e da palavra que nunca chegou, despi tuas flores
que murcharam de fantasia...
... posso imaginar-te nas letras que vou sonhando
... posso sonhar-te nos dedos das palavras que calo
mas querer alcançá-las, não quero!
Não trago saudade, moldei meus vestidos e fui embora!

As pétalas dos sonhos que construí nos meus cabelos
fizeram das cerejas armas
e os perfumes permaneceram duvidas.
Porque derrubaste-me em explosões de afectos
dentro da prisão do teu jogo
senti cada dardo jogado
como anfitrião castigado
e do divino que fui guardando em beijos ternos
troquei mares revoltos por mares ansiados
... nunca vi luzes azuis!
Nem violetas salpicadas de cor...
... só vi sombras dilaceradas
e ternuras avidas, sem sabores!

Meus textos são mais amáveis? Agora não!
Não trago saudade, fui embora!
E nem o cheiro do meu imaginário
me há-de castigar mais!
Esqueci-me do mar gelado, que morreu,
por isso parti,
fui embora para não matar meus desejos
nem meu extasie poético que se transformou...
fico na fé declamada
e se me quizeres lembrar, terás teu silêncio
a ouvir aplausos que nunca me deste!


Inéditos de Rosa Magalhães
(Imagens da internet)
com 3 Livros Editados
1º "Pérolas de Amor"
2º "Acrósticos de Poesias"
3º "7 Vidas de Afectos"
Rosa Magalhães

 
Autor
ROMMA
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1985
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
32 pontos
16
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Fhatima
Publicado: 10/12/2009 18:23  Atualizado: 10/12/2009 18:23
Colaborador
Usuário desde: 12/02/2008
Localidade: Joinville - SC
Mensagens: 3389
 Re: Não trago mais saudade, fui embora!
Olá Romma,

Não há amor que resista a infiferença, acaba, não deixando nem saudade. Muito bom ler-te.

Beijinhos

Fhatima


Enviado por Tópico
arfemo
Publicado: 10/12/2009 21:14  Atualizado: 10/12/2009 21:14
Colaborador
Usuário desde: 19/04/2009
Localidade:
Mensagens: 4812
 Re: Não trago mais saudade, fui embora!
...se para não deixar matar os desejos for preciso deixar a saudade e ir embora, seja, pois o tempo se renova a toda a hora...bonito poema Romma!

beijos
arfemo


Enviado por Tópico
joseluislopes
Publicado: 10/12/2009 21:56  Atualizado: 10/12/2009 21:56
Colaborador
Usuário desde: 22/03/2009
Localidade:
Mensagens: 3351
 Re: Não trago mais saudade, fui embora!
Olá Rosa!

Não trago mais saudade… é o que dizes agora!
E mesmo que as palavras te possam sair agora mais amargas lá virá a hora de sentires que vale a pena investir em quem te quer bem.
Depois amiga, o que fica para trás é realmente poesia que é um conjunto de palavras escritas por gente com punho d´ouro mas com coração de prata.
Faz o que deves e receberás sempre o que mereces e da poesia tira apenas o teu divertimento, assim como por exemplo: declamar poesia com os amigos, digo eu.
Beijo
JLL


Enviado por Tópico
amandu
Publicado: 10/12/2009 22:38  Atualizado: 10/12/2009 22:39
Colaborador
Usuário desde: 24/03/2008
Localidade: LISBOA
Mensagens: 3651
 Re: Não trago mais saudade, fui embora!
PARECEU-ME OUVIR-TE NA CHAMA DE ALGUÉM. MAS AGORA QUE TERMINO. APLAUSOS.
SÃO ASSIM AS VIDAS. NINGUÉM AS QUER MAS SÃO BONITAS.
FECHO COM UM ABRAÇO TAMBÉM.
GRANDE A POESIA TUA ROMMA. SOBRE A VIDA O AMOR E TUDO NESTE ENCANTO.
AMANDU


Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 10/12/2009 22:51  Atualizado: 10/12/2009 22:51
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: Não trago mais saudade, fui embora!
Minha amiga achei lindo o teu poema.
Que belas palavras. Um fim triste? Sofrimento?
Não, apenas palavras, espero.
É que quando o Amor se ausenta das nossas vidas,
a gente sente uma saudade danada, primeiro a revolta, mas depois logo de seguidinha é uma dor!?

Tantas palavras bonita, que me deixas sem palavras
vou reler e levar.

Beijinhos muitos
da rosa


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/12/2009 12:20  Atualizado: 12/12/2009 12:21
 Re: Não trago mais saudade, fui embora!
Ola ROMMA!

É amiga a magoa e o sofrimento faz-nos escrever assim! Lindo!
levo comigo

Beijo azul


Enviado por Tópico
JOSÉMANUELBRAZÃO
Publicado: 19/12/2009 15:43  Atualizado: 19/12/2009 15:43
Colaborador
Usuário desde: 02/11/2009
Localidade: Lisboa, PORTUGAL
Mensagens: 7775
 Re: Não trago mais saudade, fui embora!
Um poema lindíssimo escrito por uma mulher hipersensível!

Beijo com carinho

Open in new window


Enviado por Tópico
jluis
Publicado: 21/12/2009 18:27  Atualizado: 21/12/2009 18:27
Colaborador
Usuário desde: 18/12/2009
Localidade:
Mensagens: 1532
 Re: Não trago mais saudade, fui embora!
Bem, eu aplaudo e de pé - até que se me quebre a resistência - este enorme poema!
Parabéns, poeta/poetisa maior!

JL