https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Desilusão : 

Sou eu quem diz coisas estranhas

 
Sou eu quem diz coisas estranhas

Enquanto meu corpo o tempo estranha

E minha alma tímida acanha

Com medo de mostrar-se ao mundo

Entra em pânico por um segundo

Até recobra total sentido

Em que por um voraz momento altivo

Meu peito submerge se de lagrimas

Fechado em portas de vidro

Um sentimento rápido e nu

Sem direção leste ou oeste

Norte ou sul

Não sabe se voa ou se nada

Simplesmente não sabe nada

E eu junto a ele também não sei

Apenas faço o que me pedem

Submeto-me aos caprichos da lei

Enquanto minha dor emerge

Eu em mim mesmo afundo

Buscando o mais fundo e profundo

Invadindo o meu próprio mundo

Encontro quem eu temia

Aqui jaz quem sofria

E eu nem mesmo sabia

Agora que eu tomei parte

Subjugo que toda arte

É culpada de meu sofrimento

Por que em cada momento

Se choro ou se apenas soluço

Meu corpo num espasmo avulso

Revela-me o que desejo

Apenas deitar-me em teu colo

E ouvir o sussurrar de teus lábios

Dizer-me um verso profano

Tua boca colada em meu ouvido

Ouvir-te dizer eu te amo

Wilckson Ewil (Blackhearth)

21/12/2008

 
Autor
wilckson
Autor
 
Texto
Data
Leituras
801
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.