https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Delírio e pranto

 
Tags:  tristeza    morte    gotico    surreal    expressionista  
 
Meu pesar ensaia o derradeiro grito
Em teu nome enlevando-se na carne.
Dos lábios a ferida mais profunda junto ao escárnio
Umedece o lamento cálido.

Próximo do retrato a lágrima.
Do pranto um aborto estarrecido brada
Enlaçado afoga-se no sangue de nosso passado
Desaparece como mácula infecta
Amortalhado pelo esplendor do céu variado de aurora.

Absorvo a dor pela falta,
De suas mãos o conforto na face
Lembra-me como fogo fátuo tesouro
De inalcançáveis paragens,lenda
Tida como delírio de ópio
Em forma de egrégia mulher
Distante.

 
Autor
RaimundoSturaro
 
Texto
Data
Leituras
841
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 05/04/2010 23:50  Atualizado: 05/04/2010 23:50
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: Delírio e pranto
Eu não posso deixar de dizer o quanto me é importante minha página de favoritos, é onde caminho na certeza de encontrar o bom de se ler.
Um beijo.