https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Anoitecer na fazenda

 
Tags:  estrela    luar    cigarras  
 
Anoitecer na fazenda

Vejo passear no céu uma estrela cadente
Ao soprar o vento as folhas se balançam
Há no ar um langor que inexplicavelmente
Parece que vem me encher de esperança

O claro do dia se apaga tão vagarosamente
Há um couro de cigarras na borda da mata
Neste momento recordo tão tristemente
O último adeus que me deu aquela ingrata

E assim aos poucos a noite vem surgindo
A escuridão quer tomar conta de minh'alma
E vaga-lumes pelo caminho vão me seguindo

Daí a pouco vejo a lua cheia se levantando
Clareando toda aquela colônia rude e calma
Aí, tento matar minha saudade, cantando.

jmd/Maringá, 06.04.10


verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
608
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.