https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Minhas Saudades e Eu...

 
Entre ritos e mitos...Entre atos e fatos...Entre falas e silêncios...Entre ditos e esquecidos...Entre lembranças e saudades... Fez-se a vida em sociedade, e eu me fiz humano e civilizado. O que eu não sabia é que nada é mais desumano do que a civilização. Hoje, sinto que minha alma está algemada, e esta prisão tem nome: Modernidade.
Ludibrio meu cárcere viajando às minhas saudades. Consigo assim, construir contentamentos em meu existir. Reencontro com lembranças quase esquecidas que estavam recolhidas nos lapsos da memória, e movido por uma nostalgia doída, junto os ‘retalhos’de pensamentos adormecidos que ainda se fazem presentes, acordo-os, e confecciono distrações. Envolvido com esta satisfação por rememorar meu passado em imagens presentes, começo a sentir saudades de ser o que já não sou. Uma saudade diferente. Saudade de ser criança novamente.
Neste retorno ao passado, visitando minhas memórias, promovo um encontro comigo mesmo. A satisfação é maior no momento que revivo os ‘causos’ do meu avô; a música de viola de meus tios; as orientações que meu pai, sentado em sua cadeira de palha, ‘tecia’ pra gente ser feliz; os sabores da comida caseira que minha mãe preparava no fogão de lenha... Enfim, coisas simples de uma vida rica em magia.
Agora sou adulto, e me tornei órfão dos hojes que se negam a recolher as sabedorias dos ontens. Não compreendo, porque os instantes recusam os distantes, e nos projeta rumo à maioria dos nós que nos afasta de nós. Só sei que me adeqüei ao suportável e ao sofrível, para conseguir tolerar ao intolerável. Se ao menos, eu soubesse ontem o que sei hoje, não teria medo dos esconderijos do silêncio. Escaparia de todas as receitas: de sucesso, de progresso, de riqueza... Porém, eu não esqueceria que o “cinza é "filho" do preto e do branco”, e são tantas as possibilidades de novos tons que eu sepultaria todas as verdades absolutas.
Hoje faço dos meus sentidos o reverso das lógicas. Concorro comigo mesmo. Consigo ver melhor com os olhos fechados. Minha visão tem apurado meu paladar. Meus óculos auxiliam a minha audição. Minhas dores anestesiam a minha alma. Não sou um conceito opcional, sou prioridade em todos os modos de pensar que mantenham acesa a chama da dúvida.
Cavalgo na pele de águas desconhecidas sobre ondas alucinadas em busca do nada. Sinto os redemoinhos provocando gotas de um orvalho ainda por acontecer. Ouço o eco do oco que formata em meu labirinto um som incompreensível, mas perceptível a olho nu e audível em contato com o olfato. É sublime a junção dos sentidos que me devolve ruídos enriquecidos por murmúrios que se perdem dentro de burburinhos de vozes ainda sem vez para compreensão dos ‘normais’.
Mergulho na superfície da vida e descubro que o tempo passou e as perdas foram inevitáveis. Agora vivo minha lucidez, aguardando um reencontro com minha inocência. Inocência? Talvez, trocaram seu nome, e hoje a chamam de experiência. Por isso, acolho as minhas necessidades, e me valho do desconhecido. Lá, ainda estou isento de opiniões.Lá, sem entender encontro meu existir dentro dos meus vazios. Lá, convivem bem o que eu sei e o que eu não sei. Lá, sou parte do que penso e também do que não penso, Lá, sou utopia, sou sonho, sou esperança, sou tudo e sou nada. Lá, sou puramente instinto...
Ah! Eu preciso de um sorriso de criança em todos os dialetos. Alguém pode conseguir?...


ZICO

 
Autor
ZICO
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1233
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
16
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
EDILFRANCI
Publicado: 11/06/2010 03:14  Atualizado: 11/06/2010 03:14
Muito Participativo
Usuário desde: 25/03/2010
Localidade: Alfa-centauro
Mensagens: 83
 Re: Minhas Saudades e Eu...
Bravo, poeta!!!!! Nessa nostalgia, viajei ao encontro do meu eu-criança que era feliz com tão pouco. A saudade é a certeza do bem que já vivemos e que teimosamente dispara seus flashs, para nos fazer lembrar nossos momentos de felicidade. Sim, por que só sentimos saudades daquilo que negamos esquecer. Seja bem vindo e obrigado pela visita. Abraços. Edil


Enviado por Tópico
luciusantonius
Publicado: 13/06/2010 17:55  Atualizado: 13/06/2010 17:55
Colaborador
Usuário desde: 01/09/2008
Localidade:
Mensagens: 670
 Re: Minhas Saudades e Eu...
Li e reli o seu poema (que o é de facto) e tive consciência de que o luso ficou deveras enriquecido com a sua entrada neste site. O seu texto é um manancial de reflexões, considerações que quase traduzem o todo da alma humana, do seu sentir em todas as dimensões. Não me sinto capaz de divagar à sua altura, mas digo-lhe que subscrevo com satisfação pontos de vista vêm ao encontro do que eu penso.
Está em moda dizer-se que o que conta é o futuro, numa atitude de desprezo pelo ontem. Em breves palavras quero confirmar que para mim (e sem desrespeito pelo amanhã) que o passado é aquele alicerce onde se fundam as raízes do futuro, sem o qual esse não aconteceria. Daí a riqueza das nossas memórias, o reconhecimento da nossa identidade naqueles que viveram antes de nós, naquilo que eles foram capazes de fazer, que pode ter sido modesto mas simultaneamente grande. Também os cantares de um meu bisavô (por sinal natural do Brasil) aos acordes do violão ainda ressoam na minha saudade.
Obrigado pela oportunidade que me deu de visitar o passado.

Fraterno abraço
Antonius


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 17/06/2010 02:27  Atualizado: 17/06/2010 02:27
 Re: Minhas Saudades e Eu...
"Neste retorno ao passado, visitando minhas memórias, promovo um encontro comigo mesmo. A satisfação é maior no momento que revivo os ‘causos’ do meu avô; a música de viola de meus tios; as orientações que meu pai, sentado em sua cadeira de palha, ‘tecia’ pra gente ser feliz; os sabores da comida caseira que minha mãe preparava no fogão de lenha... Enfim, coisas simples de uma vida rica em magia."

Encantada aqui, pois da a impressão que tem um pouco da minha historia e recordações.

Das tuas lembranças e nostalgias, fiz as minhas.rs

Obrigada pela visita no meu cantinho, e seja bem vindo sempre.

Abraço

Rosangela


Enviado por Tópico
CLEIDEYAMAMOTO
Publicado: 18/06/2010 00:12  Atualizado: 18/06/2010 00:12
Da casa!
Usuário desde: 27/03/2010
Localidade: Pindamonhangaba-SP-Brasil
Mensagens: 226
 Re: Minhas Saudades e Eu...
Uma profunda e lúcida reflexão do ontem e do hoje... Um texto que nos prende a atenção do início ao fim.

Maravilha, Zico!

beijo, poeta


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/06/2010 12:26  Atualizado: 21/06/2010 12:26
 Re: Minhas Saudades e Eu...
Uma grata surpresa. Somente posso dizer que li e reli este texto soberbo.

Faço minhas as palavras de todos os intervenientes e assino por baixo.

Levo para mim


Beijo azul


Enviado por Tópico
fafahalmeida
Publicado: 12/07/2010 14:50  Atualizado: 12/07/2010 14:50
Participativo
Usuário desde: 10/07/2010
Localidade: Um lugarzinho no meio do nada
Mensagens: 22
 Re: Minhas Saudades e Eu...
Parabéns, você é quem escreve muito bem!!!
eu sou apenas aprendiz. Adorei o texto.
abraços
fátima


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/08/2010 20:49  Atualizado: 01/08/2010 20:49
 Re: Minhas Saudades e Eu...
Maravilhoso texto...me emocionei ao ler! Parabéns por sua inspiração e sensibilidade! abraços...


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 23/11/2010 00:52  Atualizado: 23/11/2010 00:52
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: Minhas Saudades e Eu...
Intensa reflexão que propicia o pulsar de vida no texto e escorre pelas veias. Parabéns! bjs