https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Frio e insônia

 
Tags:  vento    frio    coberta.  
 
Open in new window














Frio e insônia

Ah! que noite longa de muita agonia
Já é madrugada e continuo com insônia
Parece que aumenta mais a melancolia
Ouvindo o vento soprar lá da Patagônia

Hoje eu me cubro em colchas de cetim
Mas na minha pobre infância eu sofria
Quando minha mãe colocava sobre mim
Corta febre e sacas de estopa me cobria

Levantávamos e corríamos sobre o gelo
Não atendíamos de nossos pais o apelo
Para que ficássemos em casa a esquentar

Pelos pastos catávamos gelos em caco
Trazíamos em vasilhas para o barraco
E misturávamos com limão para tomar.

jmd/Maringá, 05.06.10



verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
693
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.