https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Cravos de Sangue

 
Um dia passei em “Aveiro”
E prometi lá voltar...
Por lá encontrei família
No “Eixo” de um lugar

Recordo-me de uma fonte
E das primas, onde fui dar
Onde a minha história lá esteve
E a minha memória
Por lá andou a marcar

Vem do tempo da minha avó
E de outro tempo milenar
Onde D. Urraca passou
Cravando lá seu andar
Tenho aromas de uma ria
Onde um dia
Um moliceiro
Me embelezou o olhar
E uma barrica de ovos-moles
Me Adoçou o paladar

Minha mãe ousou contar
Que a minha avó em pequenina
Por lá aprendeu andar
Era uma menina do Vouga
Onde um “Cravo” a fez brotar
Num jardim de Cravos de sangue
Que ainda habitam
No meu sonhar...

Se um dia voltar a “Aveiro”
Não sei o que vou encontrar?
Talvez na terra um fim
Que sempre vou abraçar


Cristina Pinheiro Moita /Mim/

 
Autor
mim
Autor
 
Texto
Data
Leituras
730
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JOSÉMANUELBRAZÃO
Publicado: 24/10/2010 15:36  Atualizado: 24/10/2010 15:36
Colaborador
Usuário desde: 02/11/2009
Localidade: Lisboa, PORTUGAL
Mensagens: 7775
 Re: Cravos de Sangue
Um lindo poema muito bem descrito e uma linda Familia que tens! Eu sei!

Beijokas do ZÉ

Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 24/10/2010 17:00  Atualizado: 24/10/2010 17:00
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11186
 Re: Cravos de Sangue
Mimzinha,
Primos e primas com a tua simpatia e encanto eu acho que tens em todo o lado.
Beijinhos
nanda