https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Sociais : 

SEGREGAÇÃO E AFIRMAÇÃO

 


Dentro deste mundo, incontido,
singular, das vezes, pervertido,
procuramos o que nos é devido,
em cada degrau, soando a olvido.

Caminham sem norte e à omissão,
os pobres desta vida, aquém da mão,
que, estendida, espera a excepção,
que lhe sirva, saudosa, redenção.

Homens, como eles, desviam o olhar,
na sempre difícil arte de recriar,
a irresponsabilidade, que querem negar;

o que os olhos bem vêem, sem emoção,
nem cuidados sagrados, secreto coração,
que da segregação, sói aqui a emancipação.

Jorge Humberto
17/11/10

 
Autor
jorgehumberto
 
Texto
Data
Leituras
878
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.