https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Surrealistas : 

és as máquinas

 
pensei que se não visse não serias.
mas tu és, em último caso, a sombra do meu timbre;
tu és as máquinas do mundo que avançam e matam;
és a fome maior que afecta o meu pensamento circular.

és os silêncios que tornam estas palavras realizáveis. és o mar,
solto das suas correntes. sons estridentes. és as máquinas.

és o futuro e o passado conjugados num só. és o pó.
és a terra que me derruba e prende. és tu sem estares
onde eu estou, porque o espaço é curto e tu não caberias.
és o tempo que se estende. és as horas frias. és as máquinas.

pensei que se te dissesse saberias.

 
Autor
Breike
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1105
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Transversal
Publicado: 28/12/2011 20:16  Atualizado: 28/12/2011 20:16
Membro de honra
Usuário desde: 02/01/2011
Localidade: Lisboa (a bombordo do Rio Tejo)
Mensagens: 3755
 Re: és as máquinas
"és a sombra do meu timbre
a fome maior
és os silêncios (do) mar
és o tempo"

Pareceu-me, e aqui o Poeta que me corrija, algo de Poesia Futurista (mais Marinetti que Maiakovski), essa vertente "és as máquinas do mundo", "porque o espaço é curto",embora "pensei que se te dissesse saberias" altera em parte essa minha interpretação. De qualquer das formas (estilos) achei o seu Poema Excelente. Obrigado.

Um Excelente 2012

Abraço-te