https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Maratona de uma feliz ideia - Lizaldo Vieira

 
Maratona de uma feliz ideia _ Lizaldo Vieira
Gira o mundo
Corre o tempo
Mundo novo
Velho mundo
Avião
Disco voador
Nem sabem onde chegar
Aeronautas implacáveis
Montam e desmontma aeronaves
Lixo anda solto
Aos montes
Feito barata tonta
No ar
A terra já anda zonza
Com tantos indos
E vindos
De estudiosos
Sobra curiosidade
Desmazelo
Cuidados
Com o sagrado
E fertil solo
Azeitar a maquina
Com amor
Pra bem funcionar
Sem a qual
Não se vive
Nem vingará
Uma só folha
Nos giros dos dias
180 e 360 graus
Priorizando dar conta
De noites mal dormidas
Dias quentes
Enfarruscados
Indiferentes
Com seu ritimo de vida
Biodiversidade revoltada
Aos lamentos
Com tramanha poluição
Sobra desrespeito
Devastação
Falta gratidão
Astronautas chegam e voltam pro espaço
Catando
Bisbilhotando
Escarafunchando
Pelo avesso
O que está certo
Ou errado?
No espetáculo sideral
Porem
Nos arranjos
Não arranja jeito
Pra seus males
DEFEITOS
Que corroi
Destroi
Estratégeas do amanhã
Lá por baixo
Quem tem que se virar
Pra là
Pra cá
Dar conta de bichos ingratos
Alimentar
Banhar
Gatos e sapatos
São teus sais
Minerais
Cuidar de biota
Crostra
Lençol frático
Rios e mares
Contaminados
Por tudo de ruin
É a mamãezinha
Sim
Sem direito
A um grito de socorro
Um gesto simples
De gratidão por tamanho
Compromisso
No cumprimento de sua missão
Com filhos ingratos
Geógrafos
Geofísica
Tudo entendedem sobre
Até como funciona a roda
Os ventos
O comportamento
Da esfera
Rotação
Translação
Do por que da existência de gaia
Com sues giros de 180 E 360 graus
A astronomia daviniana
Faz a conta certa
O período de 3 minutos e 56 segundos
Correspondes a um giro da Terra
De um ângulo aproximado
Movimento de rotação
Em torno do próprio eixo
Os polos
Os hemisférios
Metade norte
Metade sul
As linhas equatorianas
Quando tá quente
Quando tá frio
Nossa bola de sensibilidade
Quer ser sustentabilidade
Há ser meio
Há de ser ponte
Estrada real
Nave segura
Sabendo o que quer
Onde e como chegar
Mesmo errante
Mais caminhante
Passo a passo
Pisada firme
Segura
Sem destino ignorado
Chegar é preciso
Num belo horizonte
Lunar
Estrelado
Tripulantes e viajantes
Com outras mentes
Devemos chegar
Em terra firme
Minha mãe generoso
Tem coração grande
Coisa linda
Pra você
E por nóis
Dedico o pouco
De teus benditos frutos
Arranjo de flores dos campos
Perfume das estações
A primavera
Semore virá
Versos e poemas drumondianos
Também
Doce do caju silvestre
Suco de mangaba dos tabuleiros
E restingas de ara
Char de flores do maracujá
Goiaba e araçá maduras
No calor da mata do junco
É tudo que posso dar
Do cantinho sagrado
Com ares de céus
Que pra mim
E PRA TODOS
Preparastes



Q U E S E D A N E C U S T O d e V I D A - Lizaldo Vieira
Meu deus
Tá danado
É todo santo dia
O mesmo recado
La vem o noticiário
Com a
estória das bolsas
Do que sobe e desce no mercado
De Tóquio
Nasdaq
São paulo
É dólar que aume...

 
Autor
Lizaaldo
 
Texto
Data
Leituras
340
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.