https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Ilusão : 

Fragilidades

 
Fragilidades
 

FRAGILIDADES.

De todas as flores que cultivei...
Uma me chamou mais a atenção.
Era uma florzinha singela que notei...
Nascida no beiral de minha janela!

Tão miudinha e franzina ela era...
Que jamais se formou dela um botão.
Mas com todo carinho eu a reguei...
Na esperança de vê-la um dia ser flor!

Todas as manhãs um beija-flor curioso,
Ou então malicioso, vinha à florzinha olhar!
Fazia o maior escarcéu para nela chegar,
Mas era tão miudinha que não a podia beijar!

Passaram-se as estações e ela ali estava.
Não se curvou ao tempo nem as tempestades.
Tão pequena e delicada que o orvalho da noite...
Trazia no silencio madrugada, o sereno a venerá-la.

Aurora se fez e uma abelhinha atrevida...
Sugou sem permissão roubou da florzinha o pólen.
Deixando-a agonizante de desejo assim como eu...
Agonizo no desejo de estar nos braços teus!

Baroneto.

Img = google.


Baroneto


 
Autor
THOMAZBNETO
 
Texto
Data
Leituras
871
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/06/2012 01:12  Atualizado: 11/06/2012 01:12
 Re: Fragilidades
Gostei muito do texto.
Niki