https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Fim

 
Secaram as fontes
Morreram as flores
E já nem os lameiros
Têm o verde de outrora
Não há borboletas
Na maciez das pétalas
Que minhas mãos cuidaram
Não há nada que me faça
Acreditar que ainda
Há vida em nós

Já nem cai a neve
No inverno
Nem se dá o milagre
Do sol
Já o verão nem é verão
Até a primavera
Se encolhe no corpo
Do outono

Só um nada ficou
Resquícios do que
Nos ocupou
Enquanto ilusão
Que em nós ficou

Não há vida em nós
E sei-o…
Porque também sei
Que os jardins voltaram a florir
E nós não vimos as flores
Nem sentimos os odores
Tal como não enxergámos
Os tons de azul no céu
O rosa acetinado das manhãs
O branco espalmado do lençóis
Onde nossos olhos choraram

Sabes que o vermelho vivo
Cobre já as encostas
E há brisas a ensaiar outros bailados
Nas pétalas das novas flores?

Não há vida em nós
E sei-o porque sei também
Que a chuva que caiu
Na última noite
Amoleceu a terra e deixou
Marcas profundas de outra noite
Em que o vento soprou
E nas janelas, até tatuou
Marcas de uma lágrima
Que não viajou
E se lamentou
Pela perda que em nós ficou

Não há vida em nós
Mas se quiseres, até podemos
Esperar que a próxima estação
Nos dê alguma cor
Ou algo que nos faça
Calar a dor
De não termos vida
Para viver outra vida em nós
 
Autor
ÔNIX
Autor
 
Texto
Data
Leituras
766
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Dalmo
Publicado: 10/04/2013 12:31  Atualizado: 10/04/2013 12:31
Participativo
Usuário desde: 06/04/2013
Localidade: Ribeirão Preto. SP.
Mensagens: 29
 Re: Fim
Impossível não gostar do seu estilo poético; você é esplendida! Entretanto não gostaria de ser este homem reprovado pelo amor e para amar. Um homem fraco que vive em um mundo de Hipocrisia. Um homem aprende muito com sua poesia. Obrigado por esse prazer maravilhoso, que é seu doce texto.
Um forte abraço!!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/04/2013 19:42  Atualizado: 10/04/2013 19:42
 Re: Fim
poesia minha cara, forte, bem ao estilo da Onix
e poesia é isto e aquilo
são princípios e fins
sinónimos do tempo dentro da chave
onde depois dos fins reside outros inícios
a noite e o dia num corpo só aos círculos trazem
tonturas…
a chave de ombros firmes possui a chave do próximo dia

é um poema e tanto, parabéns

A.