https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

a praça de sempre onde não está ninguem

 
.


Aglutinemos nossas almas, talvez possamos dar um pouco de alegria à nossa infindável tristeza.

ouve-se o esforço dos braços queimados
de um amor,sempre, pelo pão e a família
trazendo à janta um olhar cansado,fadiga
dos anos assumidos nas rugas

meu irmão, o pai vai vender o peixe
à praça de sempre
onde não está ninguém

dos livros, lemos como fazer um bom casamento
dos livros, fazemos que a índole caia em graça
e o volume da carcaça reparte-se pelos dedos
feridos das horas que passaram pela brasa

meu irmão,a mãe vai vender hortaliças
à praça de sempre
onde não está ninguém

e se o mar é incerto e o campo é duro
toma por certo que cavalo é burro
se o passado voltar a ser futuro

meu irmão, também eu voltarei
à praça de sempre
onde não está ninguém.








 
Autor
Caopoeta
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1050
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
33 pontos
9
0
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/05/2013 15:29  Atualizado: 02/05/2013 15:29
 Re: a praça de sempre onde não está ninguem
Muito bom!

Gosto de textos assim ... que dizem vivências e (a)ocasos.

Abs

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/05/2013 15:36  Atualizado: 02/05/2013 15:36
 Re: a praça de sempre onde não está ninguem
parabéns pelo poema

eu não comentei... não sei...
agora, isso não impede de dar os parabéns porque este poema bateu...
"cavalo é burro... na praça onde não está ninguém" porra, o passado já lá está

um abraço

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 02/05/2013 15:59  Atualizado: 02/05/2013 15:59
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: a praça de sempre onde não está ninguem
Este sim é cá dos meus!
Vejo-o como um quadro dessa época,
ao ler o poema ele transmite à minha alma
uma impressão dolorosa, mas ao mesmo tempo
saudosa, pois foi essa a realidade que vivi
quando pequena.

deixo um bj.

Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 02/05/2013 16:22  Atualizado: 02/05/2013 16:22
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: a praça de sempre onde não está ninguem
Encantou-me o seu poema de um lirismo belo e profundo. Foi fácil imaginar essa praça. Parabéns!

Enviado por Tópico
acalenta
Publicado: 02/05/2013 17:16  Atualizado: 02/05/2013 17:16
Colaborador
Usuário desde: 25/08/2010
Localidade:
Mensagens: 5385
 Re: a praça de sempre onde não está ninguem
Oi Poeta!!!

Tive vontade de ler,li e gostei e deixar um oi,parabéns pelo poema.

beijinho

acalenta

Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 02/05/2013 17:31  Atualizado: 02/05/2013 17:31
Luso de Ouro
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5282
 Re: a praça de sempre onde não está ninguem
Caopoeta, olá!

pelos acontecimentos atuais
estamos na iminência de ver
o cavalo burro.

Tem tristeza no teu poema,
mas deu beleza na obra.

Abraços.

Enviado por Tópico
outonal_idade(s)
Publicado: 02/05/2013 22:48  Atualizado: 02/05/2013 22:48
Luso de Ouro
Usuário desde: 31/12/2012
Localidade:
Mensagens: 739
 Re: a praça de sempre onde não está ninguem
"meu irmão, também eu voltarei"

parabéns imensos

abraço

maria


Enviado por Tópico
Caopoeta
Publicado: 03/05/2013 05:42  Atualizado: 03/05/2013 05:42
Colaborador
Usuário desde: 12/07/2007
Localidade:
Mensagens: 2027
 Re: a praça de sempre onde não está ninguem à gente boa
saudade.