https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Palavras misteriosas no banquete do rei Belsazar

 
Naquele pedaço de Céu brilha intenso agora um grande Sol amarelo,
as asas dos pássaros livres em sobrevoo fazendo faiscarem no azul;
um luzir do ouro fulgindo traz ledo à memória, em lúgubre pesadelo,
indeléveis restaram as cenas durante festim hílare enquanto taful.

Assentado em trono dourado soletre jazia ladeado por Guarda Real,
cercanias só franqueadas aos Nobres Príncipes da estirpe gloriosa,
luzente repousava em cabido espada como exposta num memorial,
rodeava o servo atendente do vinho, lépido, atento como mariposa.

Doce vinho de dourados alcatruzes bebiam à gloria do Rei e Senhor,
aos prazeres mundanos sorrindo, eram luxurias ali tão exuberantes
mas, todo esparramo profano não escapava aos olhos penetrantes.

Ao arrepio de torso, grafando surge no tapume de Nabucodonosor,
uma gavinha deixando ali desconhecidas palavras defronte castiçal,
de tanto terror treme o Rei presenciando terrível mão sobrenatural.

 
Autor
smerdilov
Autor
 
Texto
Data
Leituras
861
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
9 pontos
1
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/05/2017 10:19  Atualizado: 30/05/2017 10:19
 Re: Palavras misteriosas no banquete do rei Belsazar
Lendo aqui pela manhã mais alguns do heterônimo do Luiz Morais, talvez tenha sido apressado em julgar do pouco que li.

Uma escrita barroca e de palavras empoeiradas, mas há sentido bem direcionado e imagética poderosa.

continuo não entendendo o que leva um autor a escrever suas melhores obras qual fosse outro e assinar apenas rascunhos vazios, mas enfim. Guardo este na esperança de ler outros de igual teor...