https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

NO MAR DA VIDA

 


Pessoas surgem em nossas vidas, a toda hora,
Ora de um lado ora de outro:

Às vezes, quando estamos perdidos no mar da vida;
São como faróis direcionando a nossa rota!

Às vezes, quando estamos em meio a tempestades;
São portos seguros onde atracamos para refazimento de energias!

Às vezes, quando estamos sendo atacados por forças do mal;
São como guarda-costeira socorrendo-nos!

Às vezes, quando estamos velejando: o coração... um barco vazio;
São como ricas ilhas desertas a nos preencher a vida e a nos dar paz!

Às vezes, quando estamos em alto mar: vela aberta, bandeira branca,...;
São como terríveis piratas nos atacando de forma desleal e gratuita!

Às vezes, quando estamos na segurança de nossos portos, atacam-nos;
São como os monstros da mitologia marítima: maus inacreditavelmente!







Manoel De almeida

 
Autor
ManoelDeAlmeida
 
Texto
Data
Leituras
644
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
2
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martims
Publicado: 03/07/2014 12:10  Atualizado: 03/07/2014 12:10
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6796
 Re: NO MAR DA VIDA
A vida é um oceano que nesse mar, encontra-se o nosso viver, que se buscam nos momentos do acontecer, se fazendo dos instante o eterno prazer.

lindo poema

Enviado por Tópico
saraabreu
Publicado: 03/07/2014 19:15  Atualizado: 03/07/2014 19:15
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2014
Localidade:
Mensagens: 2423
 Re: NO MAR DA VIDA
Um cantar inquieto Manoel centrado no porvir...quando uma pessoa está bem, pensa que pode vir o mal e não desfruta o momento, mas também é uma forma de se prevenir, pois na eventualidade de alguma "surpresa" desagradável o choque não é tão forte...eu que o diga.

Realço estes versos que dizem isso mesmo:

"Às vezes, quando estamos na segurança de nossos portos, atacam-nos;
São como os monstros da mitologia marítima: maus inacreditavelmente!"


Um canto a valer e senti-o.

Abraço
Luzia