https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

como bola na ponta da mola

 
Tags:  sangue    bola    mola    LUGAR NENHUM    não chega    circula  
 
"... correndo sobre elas assobiando,
afoito dispersas nuvens...”

----------------------------------------


- como bola na ponta da mola -




Não só sentimentos
estremecem aos ventos,
tudo é levado como bola,
trepida na ponta da mola

Todos os desejos da vida,
tentações fugazes dos sentidos,
tendem a ter asas,
dissiparem-se num enorme mundo,
áspero, extenso, mas torpe e frio.

No emaranhado na noite,
mais uma vez o vento
correndo sobre elas assobiando,
afoito dispersas nuvens,
deixando curvas folhas dobradas.

É semelhante ao sangue.
Com a morte,tudo termina.
Enquanto vida há,
tende a correr aquecendo o corpo,
pulsando coração, dilatando veias,
sem nunca chegar a lugar algum.


22082014
--------------------------------------------------------------
©LuizMorais. Todos os direitos reservados ao autor. É vedada a copia, exibição, distribuição, criação de textos derivados contendo a ideia, bem como fazer uso comercial ou não desta obra, de partes dela ou da ideia contida, sem a devida permissão do autor.






" ...descrevo sem fazer desfeita,
meu sofrer e meus amores
não preciso de receita
muito menos prescritores."




Revista e editada.
Publicado anteriormente com heterônimo lm.remora
 
Autor
LuizMorais
 
Texto
Data
Leituras
540
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.