https://www.poetris.com/
 
Textos -> Outros : 

Vou dar um clique no meu superego

 




“ Sabe, hoje eu tentei por várias vezes falar com minha linda. E desisti todas elas. Fiquei olhando o bonequinho azul do MSN ali no cantinho um tempão. Até abri a tela e vi que ela estava lá. Conectada ausenta, mas estava. Eu sei que estava do outro lado. Que diz que está ausente só para não ser incomodada por amigos chatos. E devo ser um deles. Mas, arrisquei e escrevi um simples “ oi” na mensagem instantânea. Fiquei olhando a foto dela naquele quadradinho, sorrindo para mim e nada. Não tive coragem. Lembrei das palavras dela quando disse que eu deveria me limitar a escrever meus versos e nada de intimidades. Então, cancelei a mensagem. Entrei no Facebook e vi que ela estava conectada. Saí rapidinho e depois voltei. Entrei outra vez. Saí outra vez. Olhei a marcação de mensagens e nada! E fiquei olhando o bonequinho azul e sua folhinha de papel. De repente, ele nem saiu lá do cantinho, e de lá mesmo disse: “ Seu bobo! Tem certeza que ela está online ? Que ela está lá do outro lado navegando tranquila? Tem mesmo certeza? Então, se você sabe que ela está lá, ela também sabe que você está aqui. Ela não sabe onde te encontrar ? Por que ela não mandou nenhum recadinho para você? Você viu que ela estava online no Facebook? Então ela também viu você. Não percebeu minhas idas e vindas e se percebeu, não ligou. Não mandou nenhuma interrogação? Ela não quer falar com você . Você deveria se tocar. Não é por que ela é educada e atenciosa com você que você pode achar que significa alguma coisa para ela. “ Então eu me toquei mesmo. De verdade. Fiquei horas pensando em mandar um recadinho para minha linda, mas ela também passou todas essas horas e não me mandou nada !!! Minha linda lá, eu aqui e nenhum de nós se tocou com o outro. Pois hoje não vou mais mandar recado nenhum. E vou dar um clique fatal neste bonequinho chato que resolveu ser meu superego..” 21.11.2011





De arrebatada figura,
sou altivo, sou forte,
não carrego lutos e mágoas,
até um dia enganei a morte,
na sua faina de colher almas
e renasci.

 
Autor
Warmien
Autor
 
Texto
Data
Leituras
458
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.