https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

PIGMALEÃO E GALATEA

 
Tags:  REDONDILHAS 2014  
 
PIGMALEÃO E GALATEA

Nem foram teus olhos dor
À margem já da memória
Ou o extremado amor,
Ao sabor acre de suor,
Soube da pele ilusória.

Era teu gosto insabido,
Que banhado em gozo e gala,
Bem poderia ter sido
Se não fosse o enrijecido
Medo que ao desejo iguala.

Deixei para que feliz
Fosses, pois, longe de mim...
Julgas-me em palavras vis
Sem veres que o que fiz
Foi negar-te um triste fim.

Não há ao lado do errante
Nem a esperança d’um dia
Pensar saber o bastante
Para enfim seguir avante
E reencontrar a alegria.

Não. Há somente a certeza
De novas desilusões
A obscurecer-te a beleza.
Muito embora a chama acesa
Em já velhos corações.

Betim - 05 11 2014


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


Resposta em redondilhas a um amor impossível.
 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1049
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 04/02/2015 10:39  Atualizado: 04/02/2015 10:39
 Re: PIGMALEÃO E GALATEA
Existem tantos amores impossiveis...mas mesmo assim eu adorei a poesia!

Muito bonito!

Beijos.