https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

O MONGE E A SERPENTE - o carma

 
Tags:  SONETOS 2002  
 
O MONGE E A SERPENTE
o carma

Na guerra, conduzira ele elefantes
Contra inimigos vindos de bem longe.
Nada, porém, de qu'ele se lisonje,
Sim o atormente a todos os instantes.

Ferido após barbáries devastantes,
Decide, mudo e só, fazer-se monge...
A fim-de que da guerra mais se alonje
E o coração da sua vida d'antes.

À espera da impossível redenção,
Procura compensar sua violência
Com esta radical resolução:

-- "Enquanto eu respirar n'essa existência,
Nada mais morrerá por minha mão,
Por mais e mais pacífica a consciência!"

* * *


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
628
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
4
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 29/12/2016 11:30  Atualizado: 29/12/2016 12:04
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29294
 Re: O MONGE E A SERPENTE - o carma
Um excelente texto onde as palavras se transformam em verdadeiras magias numa escrita maravilhosa, lindo demais, feliz 2017


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/12/2016 11:34  Atualizado: 29/12/2016 11:35
 Re: O MONGE E A SERPENTE - o Karma
Open in new window