https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

COLONIAL

 
Tags:  SONETOS 2015  
 
COLONIAL

Abro a janela e acima dos telhados
Vejo às torres pináculos agudos.
Brancas, a igreja e as casas onde escudos
Vêm nos rememorar antepassados.

Corro os olhos por uns beirais ornados
Com quadros de madeira ora desnudos
Como se a apresentar, de alpendres mudos,
A aurora silenciosa a enamorados.

Se a vida for, de facto, um sopro apenas
-- Que em paixões e misérias tão pequenas
Passa como se não houvesse havido... --

Restem belos vestígios d’ela ao menos,
Tornando os lugares mais amenos
Como estas velhas vilas me têm sido

Bonfim - 20 04 2015


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
237
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.