https://www.poetris.com/
Sonetos : 

LAMIRÉ

 
Tags:  SONETOS 2018  
 
LAMIRÉ

É porque ao diapasão do trem de ferro
Que se afina a alvorada do sertão...
A passarada vem da imensidão
A s'espalhar nas névoas pelo serro.

Agudo, canta em solo o trinca-ferro;
Respondem zabelês em cantochão.
E, uma após outra, as aves d'arribação
Solfejam seus lamentos no desterro.

Mais ao longe, entre errático e dolente,
O concerto dos bois e dos aboios
Ecoa pelos vales amplamente.

É porque no andamento dos comboios
Que se compassa logo ao sol nascente,
A música a verter pelos arroios.

Betim - 28 06 2018


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
61
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.