https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sim, meu olhar é triste

 
Sim, meu olhar é triste.
Como posso eu disfarçar esta exaustão
de te ver mendigar, arrastar a vida que é dom maior
como se fosse tua maior condenação?

Tu que só és verdadeiramente feliz
enquanto Morfeu te embala nos braços
e acordar é o pior de todos os teus pesadelos!

Qual depressão, quais manias
dêem-te a Vida porra!
Devolvam-ta!
Sim, aquela que gritaste
ao te parir tua mãe.

Não foi para ser verme que vieste ao mundo,
não foi em vão,
se toda a fauna se toda a flora tem um propósito
porque não terás tu ó filho do Homem?!

Não tinhas tu um hino no alvorecer dos sentidos?!
Que fizeste dele?
Tragou-te o Sistema, ou tu mesmo te tornaste fruto promíscuo
dele, vá diz-me!

Sabes, cansaço é tudo o que vejo em ti, em mim
enquanto a cegueira prevalecer com olhos coloridos de gente
e as sementes lançadas num chão destinado à lavra
destilar veneno de serpentes.


© Célia Moura

© Célia Moura – a publicar “Terra De Lavra”
 
Autor
CéliaMoura
 
Texto
Data
Leituras
479
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Norberto Lopes
Publicado: 24/04/2015 00:53  Atualizado: 24/04/2015 00:53
Colaborador
Usuário desde: 15/03/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 970
 Re: Sim, meu olhar é triste
Um método giro para sacudir letargias; quase do foro da psiquiatria;
muito interessante!.

nl