https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

ALDEIA

 
 
ALDEIA
Tenho o Ocaso
Instalado no lugar do meu ventre
E um Caos
No lugar do coração
Enquanto um gato cor de mel
Me lambe as feridas de Maio em flor.

Tenho melros nos pés
E cerejas no revolver dos sentidos
Quando o trigo se agita
Como o pulsar do teu grito
Dentro em mim,
E o Caminho dos exílios se abrisse para nós
Para que as rosas finalmente cessassem o seu pranto…

Sinto escassas todas as pérolas
Em lábios suculentos de romãs.

Tenho o licor dos dias
Nos beirais das portas e o rosto da minha avó sorridente
No entardecer da espera,
Enquanto minha voz a chamava encalhada numa quimera,

E ela…
Ela sempre me respondia.

Sinto seus passos pelo chão do sobrado,
Suas mãos esguias moldando o queijo,
Como quem molda a poesia,
Suas preces pela alvorada.

Sinto silêncio.
Contemplo aquela última casa branca do povoado.

Tenho uma aldeia instalada
No lugar do coração,
É onde os pássaros liberam
Naufrágios da infância
Em meu repousar.


© Célia Moura

© Célia Moura – (a publicar) “Terra de Lavra"
 
Autor
CéliaMoura
 
Texto
Data
Leituras
232
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 27/05/2017 12:43  Atualizado: 27/05/2017 12:43
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29264
 Re: ALDEIA
Passa que vai entra dentro de nosso ser se aldeia dentro de nosso olhos em um amor pleno em se amar