Sonetos : 

Espelho

 
Open in new window
Espelho

Desabaram os meus castelos de areias
Pensados como feitos em pedra e aço
Como aranha enovelada em suas teias
Eles eram de areia caíram aos pedaços

Encontrei-me sozinho em um atoleiro
Não desisto porem tudo que eu faço
Só me faz sentir um eterno cansaço
E este horror de me ver por inteiro

Quando será que este sofrer termina
E esta luz que ofusca ou descortina
E os meus pensamentos vão silenciar

Quem será que me arremessou no nada
Porque me trouxe de vidas passadas
Para novamente errar tentando acertar

Alexandre

 
Autor
montalvan
Autor
 
Texto
Data
Leituras
623
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.