Poemas : 

Desígnios

 
Poderia dizer que sou e vou ser tanta coisa,
Mas gosto mesmo, é de ser: quem eu sou!
Assim sem corridas e de sorriso nos lábios,
Desenrolando meadas para novelos de lã.
Trabalhei num torno com peclis e esquadro
Tricotei com agulhas camisolas de lã
Até bordei quadros e toalhas de banho
Aprendi croché: com a minha mamã!
Já cortei moldes e alinhavei casacos
Pintei muitos quadros, palhaços e rãs
Mudei muitas fraldas, embalei e dei banhos
Fotografei paisagens fiz macros e desenhos
Envernizei cadeiras e restaurei móveis velhos
Até escrevi livros e criei poemas
Apanhei bolotas, flores e castanhas
Para fazer arranjos com bolas e anjos
Sequei tantas flores no meio dos livros
Colei amores-perfeitos como borboletas em vidros

Já fiz tanta coisa, algumas esqueci!?
Mas do que me recordo que fiz
…Sou só aprendiz!


Cristina Pinheiro Moita /Mim/

 
Autor
mim
Autor
 
Texto
Data
Leituras
316
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
0
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.