https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

A liberdade do amor

 
Tomei a dor como minha penitência,
Pela rasura sentida no pensamento!
Pensei que acabaria meu tormento,
Mas acabou-se antes a paciência.

É já dolente minha aparência,
Atiro ais através do vento!
Rezo a deuses meu sentimento,
Caio desamparado na consciência.

Tudo muda sem que haja mudança!
A alegria é algo que a longo prazo castiga
Enquanto o amor nos prende e condena

A viver em constante fé e confiança!
A tal liberdade a que tanto obriga,
Somos julgados culpados com máxima pena...


 
Autor
angelOFdarkness
 
Texto
Data
Leituras
649
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
28 pontos
4
4
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 24/08/2015 22:02  Atualizado: 24/08/2015 22:02
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29998
 Re: A liberdade do amor
Lindas apalavras oracionais que se completa nas verdadeiras essências divinas.
maravilhoso


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/08/2015 11:53  Atualizado: 25/08/2015 11:53
 Re: A liberdade do amor
Um belo soneto!

No terceiro verso da segunda estrofe vejo que escreveu a palavra deuses, porém se estiver se referindo a Deus a consoante D é escrita em letra Maiúsculas e não precisa de acrescentar a vogal "s" uma vez que Deus é único e apenas um.

Abraço!