Poemas -> Paixão : 

Rasgo normas

 
Tags:  fogo    chamas  
 


Em ondas de fogo
Navego ao acaso
Num corpo em chamas
Faço um jogo
(Sem dar azo
Ao que reclamas)


Rasgo normas
Rasgo convenções
Não quero saber das formas
Só quero as emoções
Em que me transformas
Num universo de sensações







 
Autor
MariaSousa
 
Texto
Data
Leituras
1414
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
37 pontos
11
5
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/11/2015 11:35  Atualizado: 06/11/2015 11:35
 Re: Rasgo normas
as normas são algemas às vezes e é bom lançá-las a um poço. parabéns, Maria


Enviado por Tópico
IvaeRoberto
Publicado: 06/11/2015 18:12  Atualizado: 06/11/2015 18:12
Muito Participativo
Usuário desde: 09/09/2014
Localidade: Silves
Mensagens: 74
 Re: Rasgo normas
Sempre quis escrever um texto sobre paixão assim, como a amiga Maria o fez …tão ilimitado, ardendo as fronteiras do comum...

Muitos parabéns …


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/11/2015 15:16  Atualizado: 07/11/2015 15:16
 Re: Rasgo normas
Reclamar...
Sem direito.
Só agrava a dor,
que tenho no peito.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/11/2015 09:46  Atualizado: 08/11/2015 09:46
 Re: Rasgo normas
Fusões de corpos que se fazem naquelas maravilhosas essência de pele, onde o prazer se completa em nosso ser. Encanto


Enviado por Tópico
Margô_T
Publicado: 03/08/2016 12:05  Atualizado: 03/08/2016 12:05
Da casa!
Usuário desde: 27/06/2016
Localidade: Lisboa
Mensagens: 308
 Re: Rasgo normas
São “ondas de fogo” que navegam “ao acaso”, seguindo as chamas do corpo que, movimentando-se e crepitando de um modo imprevisível, executam um jogo onde as normas existem para ser rasgadas enquanto as formas que nos enformam são pura emoção... (e nas sensações nos inebriamos).
“rasgar normas” é uma expressão bem forte. Fiquei cativa logo aí.

Bjs


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 03/08/2016 15:40  Atualizado: 03/08/2016 15:40
 Re: Rasgo normas
Lembrou-me um poema de Jorge de Sena:

SINAIS DE FOGO

Sinais de fogo, os homens se despedem,
exaustos e tranquilos, destas cinzas frias.
E o vento que essas cinzas nos dispersa
não é de nós, mas é quem reacende
outros sinais ardendo na distância
um breve instante, gestos e palavras,
ansiosas brasas que se apagam logo.