https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

D’ALVORADA

 
Tags:  SONETOS 2013  
 
D’ALVORADA

Têm sido raras n’essa latitude
Manhãs assim, de densa e alva neblina.
Mas gravo o inopinado na retina:
Uma imagem de paz e solitude.

Fiquei ali parado o quanto pude,
Envolto em cerração e chuva fina.
Sonho, que o despertar já não termina,
Com névoas esvoaçantes sobre o açude...

Contemplo a onipresente claridade
Enquanto o sol aos poucos tudo invade,
Cegando-me alto o olhar na plena alvura.

Então, experimento a ausência em tudo
E posso enmimesmar-me, a solo e mudo,
Pela neblina diáfana em luz pura.

Betim 31 05 2013


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
238
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 06/12/2015 18:43  Atualizado: 06/12/2015 18:43
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29136
 Re: D’ALVORADA
Um lindo poema que as palavras se transforma nas mais lindas essências poéticas.

maravilhoso