https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

No silêncio dos lábios …

 
 

O vento levou as palavras escritas, palavras simples, como é simples o amor que emerge saltitante das mãos. Não sei se elas chegaram até ti, se as amparou ou as guardou no horizonte longínquo

Só sei que ainda ecoam no peito como borboletas sugando o pólen já exausto, como o sangue que abraça o coração num tique-tac, tique-tac, acelerado.

Tudo fica no instante …, amanha as palavras renovar-se-ão vivas ao sabor dos dedos trémulos, mas no silêncio salgado dos lábios. Serão cantadas pelos olhos desfocados sentados no pedregal do areal.

Tenho saudades de mim…de ti, da liberdade das palavras lançadas no labirinto do poema soalheiro aos pássaros que debicam o céu na rapidez do tempo

Labirinto enclausurado de rimas versadas, da paixão com que os dedos moldavam os sentimentos do corpo ainda selvagem e do pulmão oxigenado de mundos, do meu…do teu…

Era o vai vem dos músculos respiratórios, inundando cada partícula perdida no desassossego da pele ..

E o mar continuará a lavrar a areia, numa repetição desigual de marés terrenas, mesmo no silêncio dos teus lábios

Escrito a 17/05/16
 
Autor
Liliana Jardim
 
Texto
Data
Leituras
289
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
*Anggela*
Publicado: 21/06/2016 13:35  Atualizado: 21/06/2016 13:35
Colaborador
Usuário desde: 22/04/2015
Localidade:
Mensagens: 2758
 Re: No silêncio dos lábios …
Que lindo Liliana!

Adoro passar aqui e ler os teus textos!

São perfeitos!

um beijinho,

Anggela