https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Tenro

 
Tags:  amor    boca    perfume    rosto  
 

Rosto aceso
na nascente da sede
guardada na pedra
p値o musgo, p値a hera
p値a sombra da terra

Boca preenchida
p値o sabor do eucalipto
e o corpo
fundido no tronco
ardendo rendido

V. O perfume cego
e o som cristalino
verbo
menino
brincando
aos olhos de P

Amor
inacabado
marcado p値o verde
que tem a hortel


 
Autor
Nininha
Autor
 
Texto
Data
Leituras
360
Favoritos
1
Licen軋
Esta obra est protegida pela licen軋 Creative Commons
26 pontos
12
3
1
Os coment疵ios s縊 de propriedade de seus respectivos autores. N縊 somos respons疱eis pelo seu contedo.

Enviado por Tpico
Gyl
Publicado: 01/07/2017 00:11  Atualizado: 01/07/2017 00:11
Membro de honra
Usu疵io desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15176
 Re: Tenro
Doce, terno, tenro e do jeito que eu gosto de apreciar, minha querida e saudosa Nininha! Cuidado com os olhos de P, h駟n? Beijos mil, minha querida poetisa amiga!


Enviado por Tpico
Eureka
Publicado: 08/07/2017 10:28  Atualizado: 08/07/2017 10:28
Colaborador
Usu疵io desde: 02/10/2011
Localidade: Lisboa
Mensagens: 4248
 Re: Tenro P/ NININHA
Ahhhhhhhhhhhhhhhh, mas que frescura nestes versinhos t縊 lindos.
Hortel com seu cheirinho delicioso derramando harmonia no teu poema. Adorei esta leitura, mas melhor ainda era se soubesses fazer com que chovesse nesse nosso Alentejo amado.
Talvez, uma dan軋 para chover em versinhos, que achas?
Depois se chover onde deve, fica mais que provado o valor de tal versar.

Gostei tanto, tanto. Parab駭s.

Beijos
Eureka


Enviado por Tpico
martisns
Publicado: 08/07/2017 17:19  Atualizado: 08/07/2017 17:19
Colaborador
Usu疵io desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29333
 Re: Tenro
Um doce poema que enaltece os momentos belos de um amor onde o sabor s縊 os encantos dos beijos


Enviado por Tpico
Volena
Publicado: 10/07/2017 23:41  Atualizado: 10/07/2017 23:41
Colaborador
Usu疵io desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: Tenro P/NININHA
Que lindo, uma tenrura nascida na serenidade alentejana
nos sabores, perfumes brandos e no encanto da poetisa,
beijocas e beijocas da V

Menino nascido
Ainda est verde
Mas mais maduro
Ningu駑 o prende.
Arde, quer l saber
Dos olhos de P繞
Acredite na av
Que amiga e f!
Se gosta dum verso
de musgo e hera
Pode contar comigo
Sou da outra era.
Agora um beijinho
Com todo o af
Adorei o sabor
E o aroma a hortel!