https://www.poetris.com/
Sonetos : 

O ARQUEÓLOGO

 
Tags:  SONETOS 2017  
 
O ARQUEÓLOGO

Na cratera d'algum vulcão extinto
Ou nas ruínas d'um palácio etrusco
Vestígios de quem fui ainda busco
E as lendas em que cri por fim desminto.

Camadas e camadas de indistinto
Pó cobrindo o horizonte revelhusco...
De civilizações o lusco-fusco
Percorro em intrincado labirinto.

Talvez mais no passado que ao presente
Eu viva de mim mesmo indiferente,
Olhando para além do quotidiano.

Por isso têm me visto distraído:
Por caminhos que vão até o Olvido,
Sigo as pegadas vãs do ser humano...

Sorocaba - 16 07 2017


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
40
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 18/07/2017 05:38  Atualizado: 18/07/2017 05:38
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1217
Online!
 Re: O ARQUEÓLOGO
Nas quadras procuraste rimas arriscadas e desenvecilhaste-te muito bem.
Bom mote. O auto-descobrimento é universal e um arqueólogo vai procurá-lo em lugares muito improváveis.
Quando lia, fiquei por instantes, a achar que era a si mesmo que procurava.
Mas, se encontrar vestígios com milhares de anos, e conseguir se compreender melhor, já terá valido a pena todo o pó, todo o suor, o trabalho vá...
Tens um registo muito consistente.

Abraço