https://www.poetris.com/
 
Rondel : 

EXISTE UMA VALA EM MIM.

 

Existe uma vala em mim,
Alimentada pela solidão,
E nesta um buraco sem fim,
São forças de contra mão.

Eu nem vislumbro um fim,
Para esta imensa escuridão,
Existe uma vala em mim,
Alimentada pela solidão.

Acreditei em querubins,
E dei asas a imaginação,
Mas não formei meu jardim,
Me devastou esta erosão,
Existe uma vala em mim.


Enviado por Miguel Jacó em 17/09/2017
Código do texto: T6116360
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Miguel Jacó

 
Autor
Migueljaco
 
Texto
Data
Leituras
377
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
4
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rafaelcarma
Publicado: 24/09/2017 21:34  Atualizado: 24/09/2017 21:34
Da casa!
Usuário desde: 24/07/2017
Localidade: Brasil, Santa Catarina, Navegantes
Mensagens: 242
 Re: EXISTE UMA VALA EM MIM.
Belíssimo poema! Fui permeado pelo sentimentos transmitidos a cada verso! Adorei!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/09/2017 02:14  Atualizado: 25/09/2017 02:14
 Re: EXISTE UMA VALA EM MIM.
Belíssimo Rondel!
Parabéns, mestre Miguel
Abraços

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 26/09/2017 11:24  Atualizado: 26/09/2017 11:24
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Algures em Portugal
Mensagens: 2721
 Re: EXISTE UMA VALA EM MIM.
Muito bom poeta somos a nossa própria solidão fechados
dentro de nós mesmos cavamos uma vala fundo com medo de que? um abraço Migueljaco
Maria

Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 26/09/2017 17:10  Atualizado: 26/09/2017 17:10
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: EXISTE UMA VALA EM MIM./ Para Miguel Jaco
Penso que todos nós possuímos uma vala interior, cheia de contrastes e sequelas, a que chamamos solidão.

Gostei do poema, querido Miguel, parabéns pela sensibilidade.

Bjos