https://www.poetris.com/
 




Por quê eu ainda estou vivo?
Estou cansado de viver assim,
correndo todo dia, mas sem um fim.
Por quê eu ainda existo?

Talvez ainda me falte coragem
para revogar uma vida deprimida.
Talvez meus remédios são a vantagem
que resta para o fim da contagem.

Nem meus versos me entendem,
nem nunca vão entender.
Não há mais brilho na vida
e não adianta sobre viver.

Não consigo mais estar triste,
pois o remédio não deixa.
Você furtou meus sentimentos!
Prestarei uma queixa!

Desisto de tudo e de todos.
Cederei ao meu impulso!
Arrancarei minha vida
e não mais cortarei meu pulso.






Rafael Carneiro


 
Autor
Rafaelcarma
 
Texto
Data
Leituras
146
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 16/10/2017 11:59  Atualizado: 16/10/2017 11:59
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: Quo
Um belo poema sentimental.

Nem todos os dias estamos de bem com os momentos, pois os instantes por vezes se congratulam com as inverdades do viver.

A vida ela é fragmentada, temos que dentro dela se completar