https://www.poetris.com/
Sonetos : 

PEREGRINO

 
PEREGRINO

Do meu sorriso o trágico destino
assombra quando a noite vem, trevosa,
falar-me da algidez abominosa
que abraça o peito flébil, peregrino.

Doeu demais e, sendo repentino,
o duro adeus me abriu a sinuosa
estrada onde, em viagem vagarosa,
bradejo mergulhado em desatino.

Na imensidão das mágoas falta vida
aos olhos noutros tempos radiantes
por ti numa loucura desmedida.

Dos lábios tomou conta uma tristura
porque dos teus carentes, suplicantes
só sentem o sabor desta amargura...


Jerson Brito

 
Autor
jersonbrito
 
Texto
Data
Leituras
195
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
João Marino Delize
Publicado: 20/10/2017 20:28  Atualizado: 20/10/2017 20:28
Colaborador
Usuário desde: 29/01/2008
Localidade: Maringá-
Mensagens: 2739
 Re: PEREGRINO
A noite chega tão trevosa
Traz as trevas à nossa vida
Mas pode ser maravilhosa
Ou também ser divertida.

Gostei do soneto. Muito bom. Bem rimado.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 25/10/2017 13:25  Atualizado: 25/10/2017 13:25
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29228
 Re: PEREGRINO
Sentimentos que gritam aquele amargura que os olhos sentem dentro de uma insana dor