https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

As pedras que me atiram

 
Corro rápido e ligeiro
para me proteger de todas as pedras
atiradas quase certeiras, por gente...
não, talvez... por gente
que gente talvez não seja
pois não se mostra clemente
mesmo em lugar de pelourinho.

Se se me atravessam no caminho,
curvo para outro lado
e volto a correr sem me deter.

As pedras passam perto...
muito perto...
mas passam.
Nenhuma me atingiu ainda, por certo...
Não sangro...
E sigo a correr.

Se parar, morro
e isso só me acontece quando quiser.

Lá passa outra perto da orelha...
senti-lhe o sopro, era cónico.
Esta era velha,
da calçada que piso todos os dias.

Por vezes canso-me de correr
e sigo só a andar
mas prefiro não parar
porque a companhia não me agrada
e com essa, arrisco-me a uma pedrada.

Valdevinoxis


Nas troikas não há camaradas e da camaradagem não nascem troikas.


 
Autor
Valdevinoxis
 
Texto
Data
Leituras
1948
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Paloma Stella
Publicado: 19/01/2007 02:07  Atualizado: 19/01/2007 02:07
Colaborador
Usuário desde: 23/07/2006
Localidade: Barueri - SP
Mensagens: 3514
 Re: As pedras que me atiram
Devemos sempre nos arriscar...
Mesmo que a vida nos taque pedras... e que essas sejam muitas em nossos caminhos... temos que arriscar.. sempre..

beijinhos