https://www.poetris.com/
Poemas : 

PERTENCES

 
Tags:  VILANELA  
 
PERTENCES

Algo que permaneça d'aura extensa
Como essência invisível dos objetos,
Em meio à ausência faça-se presença.

Pelo uso nos indique 'inda pertença,
Em memória de dias irrequietos,
Algo que permaneça d'aura extensa.

Desgastadas relíquias d'uma crença,
Onde os dedos premiram, inquietos...
Em meio à ausência faça-se presença.

Alguma fé absurda-mas-imensa,
A fazer-nos abstratos mais concretos...
Algo que permaneça d'aura extensa.

Atravesse do Olvido a noite densa
A fim-de que a saudade dos diletos
Em meio à ausência faça-se presença.

Em tudo que estivemos nós, pretensa
Luz que ressignifique ora amuletos,
Em meio à ausência faça-se presença
Algo que permaneça d'aura extensa...

Betim - 15 04 2018


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
163
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.