https://www.poetris.com/
Textos -> Outros : 

Inverno - Cartas

 
Querida Gaveta Falante,

Minhas provisões para o inverno acabaram, e o fantasma que me segue exige vingança. Minha alma torturada, minhas crenças desabam, estou frágil como criança.

Quem sabe uma alma possa me cuidar? Essa minha alma imatura e frágil que vive a se apavorar?

O Rei está morto! Quem matou o rei? Diga-me! Antes que a loucura me mate.

O que farei do que fizeram de mim? Serei ou não?

Talvez dormir seja melhor. A espada pesa na bainha, como irei sacá-la? Chegou minha hora e não poderei vacilar, me sinto um camelão na frente do espelho. Que cor deverei assumir? Se não me decidir, talvez seja melhor sumir. E neste sentido último, o fim da história.



- Por Donzela do Gelo

Copyright: É proibida a cópia, reprodução, distribuição, exibição, criação de obras derivadas e uso comercial sem a minha prévia permissão.


 
Autor
Nyna
Autor
 
Texto
Data
Leituras
114
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
3
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 16/04/2018 22:09  Atualizado: 16/04/2018 22:09
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 14564
 Re: Inverno - Cartas
Antes o rei está nu do que morto... Essa gaveta anda desvendando outras facetas tua. Estou gostando mu


Enviado por Tópico
*Anggela*
Publicado: 21/04/2018 16:21  Atualizado: 21/04/2018 16:21
Colaborador
Usuário desde: 22/04/2015
Localidade:
Mensagens: 2896
 Re: Inverno - Cartas
Bonito texto, poetisa Nyna!

Parabéns!

Anggela