https://www.poetris.com/
Sonetos : 

LUA À MÍNGUA

 
Tags:  SONETOS 2018  
 
LUA À MÍNGUA

Decresce pelo céu a lua ao meio,
Desanuviando a noite dos sertões.
Da mata, um uratau geme canções
Bisonhas e com uivos de permeio.

Embaraçada pelo seu gorjeio,
A lua fica à míngua em seus clarões...
Vai minguando minguante aos corações
Desiludidos já d'algum enleio.

Tal luar antes esconde que revela,
A encher de densas sombras os caminhos
Por onde o enamorado se desvela.

Tristes, o mãe-da-lua e os passarinhos,
Vendo a lua minguar tão menos bela,
Deixam esses desertos mais sozinhos...

Betim - 15 11 2018


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
129
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.