https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Celeste o teu azul!

 
Open in new window

Rimando os teus olhos
Embalei meus sonhos…
Despi-me de escolhos,
Dos medos medonhos
Que me arrojavam!

Esse azul célico
Que me faz tão bem
Porque dele vem
Esse gozo mélico
Que me entretém.

Faço neles pouso
Como noivas, esposo!

Cavaleiro.100.dama
Open in new window

 
Autor
cavaleiro.sem.dama
 
Texto
Data
Leituras
231
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
7
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 11/12/2018 17:09  Atualizado: 28/12/2018 19:35
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29118
 Re: Celeste o teu azul!
Um belo poema escrito de um jeito sábio onde os sentidos gritam suas essências


Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 28/12/2018 10:14  Atualizado: 28/12/2018 10:14
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade:
Mensagens: 1746
 Na rua do mau juiz,












Te aguardo na rua do mau juiz,
Ambos somos filhos de mãe x'trangeira,
Porque não da outra, mais suave que
A primeira e da forma exacta como o mundo,

Te aguardo no jardim da sombra,
Junto com a cidade em peso,
No corredor mais desolado, na Álea
De pedra e gesso, te aguardo,

O nosso desassossego não é vão
Mas absurdo, te aguardo mais
Que tudo, como uma doença
sem cura no jardim das pústulas,

Meu túmulo de louro falso, o génio
Não vende e a lâmpada treme, fede
A nossa vida, é uma bebedeira,
Te aguardo breve abaixo na rua,

Junto com a cidade inteira e o entulho,o lixo...
As sensações eram um erro, um vício,
De nada valem e o parque do mérito
Não tem lado de cá, apenas o que temos

São as áleas de sombras e becos
Sem saída, os nossos medos brigam
Nas visões que vemos, nas quais não
Há anatomias, apenas desassossegos,

Te aguardo no jardim da sombra,
Junto com a cidade sem peso,te
Aguardo na outra campa ao lado
Da minha, na rua do mau juízo

Em causa própria, no talhão debaixo
Do meu túmulo de louro falso,
Te aguardo mais que tudo, como um
Doente sem cura nem peso,

Ambos filhos de mãe x'strangeira,
Porque não da outra, abreviada, inculta,
"Filhos-de-puta" ...








Jorge Santos(09/2017)
http://namastibetpoems.blogspot.com



















Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 28/12/2018 11:17  Atualizado: 28/12/2018 11:17
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12367
 Re: Celeste o teu azul! P/cavaleiro.sem.dama
Um embalo de suavidade, lindo poema! Abraço e um novo ano feliz VÓLENA

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 29/12/2018 09:54  Atualizado: 29/12/2018 09:54
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade:
Mensagens: 1746
 Re: Celeste azul!
Open in new window