https://www.poetris.com/
Sonetos : 

VIV'ALMA

 
Tags:  Sonetos 1998  
 
VIV’ALMA

Lá — sob os eucaliptos do caminho
Que "três vezes deserto" é existente
Como ficção do poeta tão-somente—
Estou, sem ver viv’alma, só. Sozinho...

— "Existo?" — eu me pergunto — Se vizinho
Ao nada de Drummond sem haver gente,
Feito uma alma penada em minha mente
Andando pelas sombras o adivinho...

Na imensidão da noite, o poeta em verso
Curvado e circunspecto 'inda persiste
Sem mais viv’alma ao meu olhar disperso.

— "Ei-lo: Nos eucaliptos algo triste..." —
Talvez não haja nada no Universo.
Mas, se aqui eu existo, o poeta existe.

Betim - 05 05 1998


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
35
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.