https://www.poetris.com/
Sonetos : 

A MULHER DE MILO

 
Tags:  Sonetos 1998  
 
A MULHER DE MILO

Esculpo no teu corpo o meu desejo
E em mármore te deixo à eternidade!
Como se te fixasse a mocidade
N’uma nudez gloriosa e já sem pejo.”

Promessas de prazeres antevejo,
Onde Beleza torna-se Verdade.
E os deuses face à tua majestade,
Da Citereia ouviram: -- “Eu a invejo!...”

Erguendo a tua face desde o Olimpo,
Impõe-te das alturas admirada
Como a mais alva estrela no céu limpo.

E sorri, sereníssima, à homenagem
Da multidão a ver embasbacada
Aquela que de Vênus fez-se imagem.

Betim – 23 05 1995


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
48
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.