https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

MALFERIDO

 
Tags:  SONETOS 1995  
 
MALFERIDO

Não te conheço, Amor, senão o engano,
Onde tu, por gracioso e destemido,
Com flechas de tocaia me hás ferido
Para haver-me captivo não sem dano.

Eu sigo preso a ferros em teu plano,
Que, embora com sentido ou sem sentido,
Faz submisso quem antes aguerrido
Conforme seus caprichos de tirano.

Tu te ris das angústias que atravesso
Como se n'algum teatro, em distração,
Divertido me assistes o insucesso.

Há tempos um joguete em tua mão,
Piedade, Amor -- a ti tão-só te peço --
Cessa tu de ferir-me o coração!...

Betim - 25 05 1995


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
602
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.